quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Transporte público na Rússia

Olá leitores! Aqui estamos mais uma vez, dessa vez para falar sobre o sistema de transporte público na Rússia. Confesso que foi algo que me surpreendeu bastante. Vamos falar sobre as várias formas de transporte, como trem, ônibus e "marshrutka" (as nossas antigas "peruas").

Transporte sobre trilhos:

As ferrovias que cortam toda a Rússia
A Rússia, nos tempos da União Soviética, era o país que mais transportava pessoas sobre trilhos no mundo. Mais da metade das viagens realizadas em trens no mundo inteiro se dava dentro da URSS. Com isso em mente, imaginei "bom, então os trens na Rússia devem ser algo de muito moderno e desenvolvido". Para a minha surpresa não foi bem assim.

Para começar, esclareço que existem dois tipos de trem na Rússia: o elektritchka (электричка), que viaja nas cidades em torno de uma cidade grande e o trem de longa distância, que em russo chamam "poezd" (поезд). Como o nome diz, ele viaja para lugares bem distantes, como da parte europeia do país para a Sibéria ou para países próximos como Ucrânia e Bielorrússia, por exemplo.

Os trens de passageiros são antigos, geralmente dos anos 70 e 80, barulhentos e desconfortáveis. Já estão aparecendo alguns outros trens mais novos e que viajam mais rápido, mas, claro, eles são mais caros. Nesses trens mais velhos, no inverno, fica bem frio, por existirem pequenos problemas de encaixe nas janelas, que já estão bem desgastadas. Se você está viajando em um elektritchka de Moscou para Riazan (pouco mais de 190 km), certamente você vai passar um bom frio. Ao contrário, se você está em um poezd de Moscou para Kiev, no verão, provavelmente vai morrer de calor, porque as janelas não abrem e fica muito quente dentro dos vagões. Mas esses trens velhos são os que custam um preço normal. Os trens bons, que são, digamos dos anos 2000, custam bem mais caro, mas são mais silenciosos, limpos e viajam bem mais rápido.


Sapsan, trem rápido de Moscou à São Petersburgo
Mas existem algumas opções interessantes para se viajar de trem na Rússia, como o TGV de Moscou para São Petersburgo chamado Sapsan. Há também um trem rápido e novo entre Moscou e Kazan' e, claro, a maior estrela da ferrovia russa: a Transiberiana, que atravessa todo o país, saindo de Moscou e indo parar em Vladivostok, quase na fronteira com a Coreia do Norte. Se você está em qualquer parte da Rússia, exceto no extremo norte, você pode se deslocar para outras regiões de trem. O país é muito bem servido nesse quesito. Até existia um projeto para construir uma ferrovia que ligaria o norte ao resto do país, que chegou a sair do papel na época de Stálin, mas, após sua morte, o projeto foi abandonado. Falo mais sobre ele no post sobre a cidade semi-abandonada de Igarka.

train station voskresensk moscow russia
Caixa para sair da estação Quilômetro 88
O preço das viagens pode variar bastante. Depende de qual estação você vai descer. Se você pega um trem e desce depois de, digamos, cinco estações, você paga um determinado valor. Se desce depois de dez, um outro mais caro. Se vai atravessar a linha inteira, paga o valor integral. No ato da compra você ganha um bilhete, que você usará para abrir a catraca de saída da estação que você vai descer (sim, ela não é livre, tem que encostar o código de barras na catraca). Para controlar quem deve descer em cada estação, alguns fiscais sobem nos vagões aleatoriamente e pedem para ver seu bilhete. Se você ainda não precisa descer, eles dão um visto de caneta no seu bilhete e está tudo bem. Se você pagou para ir para uma estação, mas já passou dela, tem que pagar a diferença para esses fiscais (normalmente são mulheres) e eles te emitem um novo bilhete de viagem na hora (eles trazem máquinas consigo). Se você passou da sua estação e não tem dinheiro para pagar a viagem, eles te mandam descer e você precisa pagar para poder sair da estação. Mas, como você vai pagar? Isso é algo que me pergunto até agora, já que não vi caixas eletrônicos nem nada disso nas estações menores.

train station ramenskoye moscow russia
Estação Ramenskoye na linha Moscou - Ryazan
Por conta dessas regras todas, algumas cenas estranhas acontecem. Por exemplo, as pessoas que pagam para ir até a próxima estação, mas na verdade vão percorrer um trajeto maior ficam sempre espertas, olhando para ver quando entram os fiscais. Na hora que eles vão entrar, todos se levantam e saem correndo para o próximo vagão. Assim que o trem para na próxima estação, os fiscais vão para o próximo vagão e essas pessoas descem e entram no vagão seguinte e assim sucessivamente durante toda a viagem. Mas, e se você precisa encostar o seu bilhete na catraca para sair da estação, como você vai conseguir sair, se o seu bilhete só é válido até uma estação anterior? Simples, só descer nos trilhos, correr até o muro da estação e depois pular para a rua. Muita gente faz isso. Na linha Moscou - Ryazan, que é a que normalmente eu uso, acontece muito disso. Todo mundo sabe do que rola e não são tomadas medidas. Acho que a empresa de trens não tem coragem (ou autorização de algum órgão mais alto) para impedir tudo isso.

Se quiser saber mais especificamente sobre o metrô de Moscou, este post aqui provavelmente vai te interessar bastante..

Transporte rodoviário:

Marshrutkas esperando passageiros na estação Voskresensk
Nas ruas da Rússia, as coisas são um pouco diferentes. Em Moscou, por exemplo, existem três tipos de transporte, os ônibus/trólebus, que são como os que conhecemos no Brasil. Há os bondes, que são boas opções para escapar do trânsito, e, por último, as marshrutkas, que são as lotações (lembro bem delas em São Paulo). São apertadas, só andam cheias e você tem que gritar "próximo" quando quer descer. Ah, elas não têm cobrador: as pessoas que estão dentro vão passando o dinheiro até ele chegar ao motorista que, quando necessário, volta o troco pelo mesmo caminho até chegar na pessoa. Todos contam o dinheiro e ele sempre vai e volta certinho, não há perigo de algo sair errado. A única diferença com as antigas peruas é que elas são quase todas amarelas (às vezes aparecem algumas brancas, mas é raro), ou seja, há um pequeno padrão. Geralmente estão bem velhas (a maioria tem o para-brisa rachado) e, na parte de fora estão bem sujas. Normalmente são guiadas por imigrantes de países da Ásia Central (Tadjiquistão, Quirguistão, Uzbequistão, Turcomenistão etc) e todos detestam essas marshrutkas, mas não há muito o que se possa fazer, por enquanto.

Micro-ônibus dos anos 70 utilizado em toda a Rússia
Em outras cidades, não nas que estão no entorno de Moscou, existem também alguns micro-ônibus dos anos 70, velhos e bem maltratados, mas que ainda rodam por aí. Informalmente são conhecidos como "pázik", porque a empresa que os fabricava se chama PAZ (ПАЗ). Em outras cidades como Voronezh e Tomsk, esses pázik são as únicas opções de transporte, visto que existem poucos trólebus disponíveis. E também as marshrutkas estão rodando por lá.

Há também os táxis que normalmente são caros (como quase tudo na Rússia). Entretanto, esse não é o tipo de transporte mais indicado, especialmente se você não tiver muito dinheiro disponível e não falar muito bem russo, porque eles vão querer te enrolar, cobrando bem mais caro, já que os carros não têm taxímetro. E também, se você parecer um estrangeiro, vão achar que você deve pagar o dobro, só por ser um estrangeiro na Rússia, o que deve significar que você tem grana.

Na minha opinião, o transporte público na Rússia é bem precário. Por pior que seja o transporte público no Brasil, ele ainda é melhor que na Rússia. Tanto na modernidade quanto na limpeza dos carros. As passagens são um pouco mais baratas que no Brasil, mas não existe aquele cartão de transferências gratuitas dentro de um determinado intervalo de tempo (que em São Paulo chamamos de Bilhete Único). Você até pode comprar um cartão para usar em ônibus, metrô e bondes, mas só serve para você não pegar toda hora a carteira e tirar dinheiro do bolso a todo momento.

Por enquanto é isso. Se quiser alguma informação adicional, só comentar aqui abaixo. Respondo com o maior prazer. Até a próxima!



6 comentários:

  1. Os bondes existentes na Russia são parecidos com aqueles antigos existentes em São Paulo (abertos e fechados) e as Marshrutkas fazem trajetos mais longos como ir de uma cidade a outra cidade vizinha ou somente fazem os bairros dentro de uma mesma cidade?

    ResponderExcluir
  2. Não, eles são um pouco mais modernos. Parecem um vagão de trem antigo na verdade. Quanto as marshrutkas, elas podem fazer tanto trajetos dentro do perímetro urbano quanto irem para outros lugares. Em Novosibirsk peguei uma marshrutka que ia para distritos mais distantes. Saiu do centro, passou por estradas vazias e percorria algumas vilas. Descemos e ela continuou. Então, ela pode ir para lugares mais distantes sim. Não para grandes cidades, mas ao menos para vilas não tão distantes do centro maior.

    ResponderExcluir
  3. Eu utilizei o metro e uma unica vez o trólebus em Moscou. Realmente o trólebus era bem velho, porem funcionava muito bem. Achei legal que todos os pontos eram anunciados por uma voz igual acontece com o metro.
    O metro apesar de ser extremamente barulhento é muito eficiente, com muitas estações. Utilizei em diversos horários, quase todos os dias e em nenhum período vi tão lotado como o metro de São Paulo por exemplo, por mais cheio que tivesse. Alem disso em todas estações as pessoas aguardavam quem estava dentro do vagão sair antes de entrar, sem aquele "empurra empurra".
    Fora isso o preço me pareceu muito mais justo, utilizando o cartão "Troika" eu pagava 30 rublos, quase a metade de um ônibus na cidade que moro aqui no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Olá Anderson!

    O metrô de Moscou é mesmo muito bom. Apesar de barulhento, como você disse, ele é muito limpo e, mesmo tendo vagões antigos, eles cumprem muito bem suas funções. Eu fiquei um pouco perdido para me orientar nas estações no começo, mas já peguei o jeito da coisa. Também achei o preço mais justo em Moscou. Esse cartão é bom, mas o Bilhete Único de SP eu achei melhor, pela integração com o transporte público rodoviário. Até fiz uma postagem específica sobre o metrô moscovita e logo farei de outros metrôs também.

    Sim, os trólebus são bons, mesmo que velhos, mas os "Pazik", que são os micro-ônibus são velhos. Nesse ponto SP está bem à frente. Mas também não lembro de ter visot esses Pazik em Moscou. Eles têm "peruas" mais novas e tudo mais, mas os micro-ônibus de SP são melhores mesmo.

    Grande abraço e obrigado pelo comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive sorte pois uma amiga me esperava em Moscou e me ensinou como usar o metro, Além disso antes de ir procurei aprender o alfabeto, então consegui ler o nome das estações. Acho que esse é um ponto negativo para turistas, pois praticamente tudo no metro esta em cirílico mas em pouco tempo já me virava sozinho. Confesso que os primeiros dias fiquei um pouco perdido. O aplicativo Yandex Metro no celular me ajudou bastante. Depois de uma semana já me sentia em casa. Adorei o lugar e pretendo voltar o quanto antes.

      Excluir
    2. Eu também já tinha estudado um pouco então até que me orientei bem. Além de ter uma esposa russa, que me ajudou bastante nas minhas caminhadas pela capital.
      Espero que possa voltar o mais rápido possível mesmo. Tenho certeza que todo mundo que vem a Moscou fica encado com a cidade e eu não sou diferente.

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.