domingo, 30 de novembro de 2014

Museu de pergelissolo e a cidade semi-abandonada de Igarka

Olá a todos! Quero falar sobre um museu do qual fiquei sabendo por aqui e me pareceu a coisa mais surpreendente que eu jamais conseguiria imaginar. Um Museu de Pergelissolo, ou, de gelo eterno (Музей вечной мерзлоты).

Exemplo de pergelissolo, ou gelo eterno
Para quem não é familiarizado com o termo, o pergelissolo (também conhecido como permafrost) é uma camada de gelo misturada com rochas que nunca derrete. Ele é encontrado embaixo da terra nas regiões árticas do planeta, como norte da Rússia, Canadá, Noruega, Finlândia, Islândia e toda a Groenlândia, onde lençóis freáticos estão congelados desde eras muito antigas, formando um grande bloco, muito difícil de penetrar e impossível de se plantar sobre. Apenas alguns arbustos e a tundra, que é a vegetação típica do norte da Terra sobrevivem no solo com esse gelo eterno.
Entrada do Museu de Pergelissolo
O Museu de Pergelissolo fica bem no norte da Sibéria, em uma cidade semi-abandonada chamada Igarka (Игарка). Essa cidade nunca foi muito grande. Ela apareceu devido a um porto natural que existe em uma enseada na região. Era um lugar onde os navios aportavam, vindo ou indo para o Ártico. Depois de algum tempo, um outro lugar tomou a importância de Igarka que decaiu muito e perdeu quase toda a sua população. Hoje, é possível ver diversas casas abandonadas e muito mato crescendo em volta delas. Mesmo com tudo isso, o museu não está abandonado. Algumas pessoas até se casam lá dentro. Ele mantém as atividades graças aos moradores e cientistas da região que lutam para manter as portas abertas de tal maravilha natural, já que esse museu é único no mundo.

Galeria subterrânea cavada no pergelissolo
Entre 1936 e 1942 começaram escavações nesse lugar para abrir galerias subterrâneas para observar e estudar as camadas que compõem este tipo de solo. Os trabalhos eram feitos manualmente, usando apenas pás e enxadas (mesmo com máquinas é muito difícil cavar mais que um metro neste solo, mas os trabalhadores conseguiram cavar 10!). Em 1965 foi aberto o museu dedicado ao pergelissolo. O objetivo do museu foi ajudar os cientistas a entender como explorar os recursos naturais da zona polar, como construir prédios com aquecimento, eletricidade e gás. Hoje a parte subterrânea do Museu de Pergelissolo é aberta para os visitantes e possui algumas salas onde você pode ver o gelo eterno com os seus próprios olhos. Você pode descer até 10 metros no solo. Na superfície do museu encontram-se informações sobre pergelissolo. Você vai aprender sobre vários tipos de pergelissolo e os fatos impressionantes. Por exemplo, 65% das terras russas têm pergelissolo e a maior camada de gelo pode chegar a um quilômetro de espessura. 

Ferrovia que seria construída em Igarka. Hoje abandonada
Além disso o museu possui uma exposição sobre a história da ferrovia que ligaria Igarka a Salekhard, no norte. Stalin idealizou uma espécie de Transiberiana na zona ártica, porque, após a Segunda Guerra Mundial ele percebeu que essa região não era bem ligada com o resto do país e poderia ser vulnerável a futuros ataques inimigos. Outro objetivo era ligar a cidade de Noril'sk, um grande centro produtor de aço, com a parte europeia da URSS. Entretanto, após a construção de 2/3 da ferrovia (que usava mão de obra fornecida pelo GULAG, ou seja, prisioneiros políticos, criminosos em geral e até os atores que o líder do partido não julgou patrióticos), Stalin faleceu e a obra foi simplesmente parada e nunca mais foi retomada. Hoje em dia as pessoas chamam toda essa construção de Ferrovia Morta (Мёртвая дорога). No museu há uma sala que reproduz a vida dos prisoneiros que trabalhavam na ferrovia. É mostrado como eles construíam a via quase exclusivamente com as mãos, já que a chegada de ferramentas era muito complicada. Também estão expostas as roupas e utensílios por eles utilizados, bem como objetos encontrados ao longo da linha abandonada e resgatados por historiadores.

Chegar ao Museu de Pergelissolo em Igarka não é fácil. Você precisa pegar um avião ou navio em Krasnoyarsk para chegar até a cidade, já que não existem estradas para lá. Em Igarka, pegue o ônibus nº 3 e vá até Rua Bolshogo Teatra (улица Большого театра) 15 - a. A passagem de Krasnoyarsk para Igarka no momento custa mais ou menos 20 000 rublos (ida e volta). Por valores tão altos acho que vai ser difícil visitar o lugar, pelo menos para mim. Caso você queira ir, melhor mandar um email para eles antes: mvm_igarka@mail.ru Ele serve não apenas para avisar, mas também caso você queira colaborar de alguma forma com o museu.

Por enquanto é isso, pessoal. Qualquer informação sobre o museu, é só comentar aqui que eu te digo o que mais eu sei sobre ele ok? Até a próxima!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.