quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O Ano Novo na Rússia

Olá! Como hoje é o último dia do ano, não poderia falar sobre outra coisa que não a celebração do Ano Novo na Rússia. Vamos ver o que eles fazem então.

Árvore de Ano Novo e fonte principal da cidade de Tomsk
O Ano Novo é a festa favorita dos russos. Tudo mundo o adora e aguarda ansiosamente. Tanto as crianças quanto os adultos associam o Ano Novo com algo mágico e muito bonito. É a hora de recomeçar e recuperar as energias, porque um novo ano vem aí e junto com ele novas esperanças e novas metas a serem alcançadas. Os russos acreditam que na noite de Ano Novo você deve fazer um desejo enquanto o Kuranty (veja o que é isso abaixo) conta os segundos para o início do ano novo e ele se realizará. Esse é um período bastante aguardado na Rússia também porque os trabalhadores e estudantes têm um mega feriadão que vai desde pelo menos (alguns já param antes) o dia 31 de dezembro até mais ou menos 10 de janeiro. O país fica praticamente parado. Somente serviços fundamentais como segurança, hospitais, alguns mercados, postos de combustível e coisas assim funcionam. Fala-se tanto sobre o período de carnaval no Brasil, mas na Rússia acontece algo parecido. 

Relógio Kuranty, o símbolo do Ano Novo na Rússia
Para falar a verdade, os russos passam o Ano Novo mais ou menos como os brasileiros. Na noite do dia 31 as pessoas se reúnem, alguns com amigos, outros em família, e vão conversando e comendo bastante. Sempre é preparada muita comida. Uma quantidade que dá para comer pelo resto da semana  sem se preocupar em cozinhar mais. Alguns também gostam de tomar umas (muitas) a mais. Quando vai chegando perto da meia noite, as pessoas correm para a frente da TV para assistir ao pronunciamento do presidente, por volta das 23:55. Ouvi dizer que nos tempos soviéticos e até no tempo do Boris Yeltsin, quando o pais passava por uma grande crise, era muito tradicional fazer isso. Hoje em dia, entretanto, muita gente está deixando esse costume de lado, muitas vezes por não aguentar mais ver a cara do atual presidente. Mas, assim que ele termina de falar, é mostrado o relógio principal do Kremlin de Moscou, chamado de Kuranty. As pessoas o veem correndo o último minuto do ano e, quando dá meia noite, uma grande queima de fogos na Praça Vermelha acontece.

Outra coisa em comum é, ao dar meia noite, as pessoas saírem às ruas e dizerem "Feliz Ano Novo!" (С Новый годом!) para qualquer um que está passando. Se você mora próximo ao centro da cidade, provavelmente muita gente irá te cumprimentar. Já no dia 31 é possível encontrar pessoas te desejando um bom ano. Na verdade, antes mesmo do dia 31. Por volta do dia 25 ou 26 de dezembro as pessoas, quando se despedem de colegas de trabalho, de vendedores de lojas ou qualquer outra pessoa com quem você teve algum tipo de boa relação já dizem "C Наступающим!" que significa "ele (o ano novo) está chegando". A resposta pode ser apenas uma repetição do que você disse ou um "И вас также!" (para você também).

O evento que encerra as comemorações no dia de ano novo, lá pelas 4 horas da manhã, é um chá com todos reunidos. Depois disso as pessoas já estão prontas para ir para cama (sim, os russos são viciados em chá).

A nossa mesa de Ano Novo para duas pessoas
No ambiente profissional, as pessoas se reúnem para uma confraternização geralmente patrocinada pelo chefe. No meu caso houve uma reunião da cátedra de línguas estrangeiras no dia 29 de dezembro no qual a diretora falou bastante sobre como foi o ano, agradeceu a todos pela colaboração e pediu para mantermos o empenho para o ano seguinte (todas as coisas de praxe). Depois de tudo isso ela nos levou a uma outra sala onde havia uma mesa bastante carregada de comida. Era para ser apenas um "chazinho de confraternização" (чаепитие), mas eu saí de lá bem cheio e não comemos nem metade de tudo que havia. Tudo para conforma a tradição russa de preparar muito mais comida do que o vai ser servido. Esse чаепитие não acontece apenas nas universidades. Nas escolas os professores o fazem e o dividem com os alunos também. Isso não é como tomar um chá com a família, é um evento social mesmo. Ele ocorre mais entre as pessoas com mais estudo e coisas assim. Entre os populares normalmente em vez de tomar um chá, eles preferem tomar uma, para já ficar daquele jeito (tenho certeza que vocês entendem do que estou falando). :)

Homem produzindo kvass na praça de Tomsk
As cidades são especialmente preparadas para essa grande festa. Aqui em Tomsk muitas esculturas de gelo são feitas com blocos de gelo retirados do rio Tom'. Eles fazem realmente coisas muito bonitas com diversos símbolos relacionados à festa russa. Também são montadas grandes árvores de Ano Novo (sim, não é árvore de Natal) em vários pontos da cidade. Claro que a principal, mais alta e mais iluminada fica na praça central, mas todas são muito bonitas. Em Tomsk até aconteceu um concurso de esculturas de gelo com representantes de várias cidades russas. Eles fizeram diversas estátuas muito bonitas como casas de madeira tradicionais, um trem (provavelmente da Transiberiana) um homem produzindo kvass (uma bebida fermentada bastante tradicional na Rússia) e outras. Algo muito legal. Pena que minhas fotos não ficaram muito boas porque a iluminação desse lugar é bastante para ver bem as esculturas, mas para fotos não é boa. Bom, venham a Tomsk e outras cidades da Sibéria e do norte da Rússia e entenderão do que eu falo. :)

Crianças no khorovod
As crianças também entram nas comemorações em um evento chamado ёлка (yolka). Nele, os meninos são vestidos de coelhos, lobos ou algum outro animal e as meninas de flocos de neve. Eles cantam músicas, leem poemas, dançam ou fazem algum outro tipo de apresentação para os pais. Isso acontece desde o jardim da infância até os primeiros anos da escola. Algumas vezes, principalmente com crianças mais velhas, eles são levados a algum centro cultural da cidade, onde encontram a Snegurka (Снегурка; uma moça, neta do homem que traz presentes para as crianças russas). Ela conversa com as crianças e depois pede para eles fazerem um círculo chamado khorovod (хоровод) e chamar pelo Dyed Moroz (Дед Мороз; o avô da Snegurka). Eles chamam bem alto, gritam, se jogam no chão, coisas assim, dependendo do grau de empolgação das crianças. Depois de algum tempo o Dyed Moroz aparece eles os personagens distribuem presentes e pedem para as crianças declamarem um poema ou cantar alguma música. Geralmente todos (crianças e pais) ficam muito contentes com todas essas coisas.

Feliz ano novo!
É isso por enquanto amigos. Esse ano foi bastante diferente dos meus últimos anos (para melhor) e espero que o próximo ano seja ainda melhor. Não só para mim, mas para todos vocês que acompanham minhas aventuras por aqui. Os posts vão parar por enquanto, porque vou aproveitar um pouco das férias, mas logo (creio que em umas duas semanas) estou de volta. Que você tenha um ótimo 2015 e que você consiga visitar a Rússia e ver um pouco de todas essas coisas tão legais que vejo por aqui. Vou dizer algo que talvez você nunca tenha visto em lugar nenhum: um próspero ano ano para você :D Abraços e até a próxima!



Ler mais »

sábado, 27 de dezembro de 2014

O dinheiro da Rússia

Olá! Talvez você tenha ouvido falar que a Rússia passa por algumas dificuldades econômicas bem sérias nesse momento (final de 2014). Pensando nisso, e para responder algumas perguntas que me fazem, decidi escrever sobre o dinheiro da Rússia.

Moedas em circulação atualmente
Uma das questões mais frequentes que me fazem é "aí na Rússia vocês usam o euro, não é?". NÃO! Não se usa euro na Rússia. A moeda do país é o rublo russo (рубль). E não é de hoje, Já está em circulação há mais ou menos 700 anos. Ela foi também a moeda do Império Russo e da União Soviética. O nome vem do verbo russo "cortar com machado" (рубить). O dinheiro ganhou esse nome porque era feito de um pedaço de aço (cortado com machado) não prateado. Era usada uma medida para o corte desse metal e essa medida se chamava grívnia ou grívna. Curiosidade: grívna hoje é o nome da moeda da Ucrânia (гривна). Lendo os livros clássicos de autores russos, sempre são feitas referências aos rublos e aos copeques (копейка), que são os centavos de rublo. A palavra copeque vem da palavra russa kap'yo (капьё; lança). No verso das moedas de copeque vem gravada a imagem de São Jorge matando o dragão com uma lança.  Um rublo é igual a 100 copeques. O código da moeda é  RUB. As moedas disponíveis são de 1, 5 (raras, nunca vi nenhuma pessoalmente), 10 e 50 copeques, 1, 2, 5 e 10 rublos. A moeda de 10 rublos é chamada informalmente de tchervônyets (червонец). As notas correntes são de 10 (já bastante difícil de ser encontrada, se pegar uma, guarde), 50, 100, 500, 1000 e 5000 rublos. Se quiser saber mais detalhes sobre as notas de rublo, escrevi sobre elas também. O atual símbolo do rublo é um "P" com uma faixa cortando-o horizontalmente no centro, assim representado: Р. O "P" é o correspondente no alfabeto russo à letra "R". Esse símbolo foi escolhido em votação no site do Banco Central da Rússia e começou a vigorar oficialmente em 11 de dezembro de 2013.

Um dos grandes vilões da crise russa é o barril de petróleo cru 
O que aconteceu com o rublo e a economia russa em 2014? Na verdade não há só uma resposta para isso. Uma série de fatores derrubaram o rublo frente ao dólar e euro e fez com que os russos perdessem muito do seu poder de compra. Não sou economista, mas vou tentar explicar um pouco sobre isso de acordo com o que é dito aqui no país. Um dos fatores que derrubaram a moeda são as sanções econômicas impostas por países ocidentais à economia russa por causa da participação do pais na crise ucraniana de 2014. Vários mercados deixaram de comprar da Rússia e companhias foram proibidas de negociar com russos. A Rússia devolveu a represália impondo sanções aos países ocidentais que impuseram esse embargo. Mas, provavelmente o maior problema russo foi a queda no preço do barril de petróleo. Por causa de um conflito entre Arábia Saudita e Irã, dois dos maiores produtores mundiais de petróleo, os sauditas decidiram aumentar a produção, para enfraquecer a economia iraniana, barateando o preço do barril nos mercados internacionais. Além da produção de petróleo de xisto e o aumento da produção nos EUA também. Tudo isso foi péssimo para a Rússia que tem a sua economia fortemente ligada à cotação do petróleo cru Brent.

Notas de rublo atualmente em circulação
Outro problema para a economia russa são os gastos públicos. Eles sempre apenas aumentam. E com a (pequena, mas significativa) possibilidade de conflito armado, deixa o mercado em pânico. Esses fatores, todos combinados com outros mais específicos de mercado, dos quais eu não sei muito bem, fizeram o rublo cair muito, chegando a sua menor cotação histórica frente ao dólar (US$ 1 - 73 RUB) e ao euro (1 € - 93 RUB) no dia 18/12/2014. Nos dias seguintes a pressão foi diminuindo  a na data de publicação deste artigo já estava em US$ 1 - 52 RUB e 1 € - 63,50 RUB, mais ou menos. O normal, que os russos sempre têm na mente, é o dólar a mais ou menos 28 rublos e o euro a 42. Dá para ter uma ideia de quanto a moeda sofreu com tudo isso observando os números. Desde o começo do ano, o rublo já perdeu mais de 50% do seu valor. Algo catastrófico para uma economia que, embora seja considerada forte e emergente, é tão sensível a algo tão volátil quanto a cotação do petróleo. Ah, e a cotação para o real está em R$ 1 - 19 RUB, sendo que o normal é mais ou menos 13 rublos para 1 real.

Símbolo do rublo russo
Para conter essa hemorragia, o governo tomou algumas medidas drásticas, como aumento cavalar dos juros básicos de 10,5% para 17% de uma tacada só. Alguns analistas internacionais chegaram a dizer que só isso não adiantaria e que a Rússia talvez precisasse vender parte do seu imenso território para a China, que seria uma potencial compradora, para acumular reservas. Na verdade acontece o contrário: os chineses já disseram que vão apoiar a Rússia e darão uma força no que for necessário para reerguer a maltratada economia do maior país do mundo. O presidente Vladimir Putin disse em sua coletiva anual de fim de ano que a crise vai durar no máximo uns dois anos, se não menos e que não há motivo para desespero. Vamos aguardar para ver o que acontece. 

Monumentos ao rublo em Tomsk (esq.) e Dmitrovgrad (dir.)
Com todos esses problemas, o velho rublo vai sobrevivendo, aos trancos e barrancos. Ele já teve sua fase gloriosa, como quando era cunhado em prata, ouro e platina, nos tempos do Império Russo assim como já teve momentos piores, como na crise de 1998, quando os russos chamavam seu dinheiro de derevyaniy (de madeira), porque o rublo valia mais ou menos o mesmo que um pedaço de madeira e que seu valor poderia ser facilmente queimado rapidamente. Mesmo com tudo isso, o rublo está fortemente ligado à cultura russa. Em Tomsk havia um monumento em homenagem ao rublo, mas, que por algum motivo foi retirado em maio de 2014, quatro meses antes da minha chegada. Na cidade de Dmitrovgrad foi erguido em 2004 um monumento ao rublo também e, ao que parece, esse ainda está no lugar.

Por ora é isso. Qualquer dúvida já sabe, só deixar um comentário aqui, ok? Até a próxima!



Ler mais »

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

O Natal na Rússia

Aqui estamos mais uma vez. Dessa vez para falar sobre algo que você já cansou de ver por aí, mas que na Rússia acontece de forma muito diferente do Brasil: o Natal. As imagens desse artigos são todas de postais antigos russos, com a temática natalina.

Mas, por que muito diferente? Primeiramente, o Natal não é comemorado no dia 25 de Dezembro como conhecemos. Na Rússia, ele é comemorado também no dia 25 de Dezembro, mas de outro calendário, o calendário Juliano, criado pelo imperador romano Julio César em 46 a.C.. Segundo o nosso calendário atual (calendário Gregoriano), o dia de celebração do Natal na Rússia é 07 de Janeiro. Essa divergência acontece porque, quando o cristianismo se dividiu em católico e ortodoxo, ambos adotavam o calendário juliano. Porém, em 1582, o Papa Gregório XIII promulgou um documento no qual eram corrigidas algumas defasagens de equinócios e solstícios, o que fazia com que o calendário ficasse sempre irregular. Com essa nova versão, o calendário gregoriano foi 13 dias para frente. A Rússia entretanto, continuou usando o calendário juliano, tanto na igreja quanto na vida cotidiana. Entretanto, a Revolução Russa de 1917, que derrubou o imperador e instaurou o regime socialista no país adotou o calendário gregoriano. Na Rússia, somente a igreja ortodoxa continua seguindo o calendário juliano até hoje. 

Por isso, no dia que você estiver lendo esse post e quiser saber a data do calendário juliano, basta retirar 13 dias da data atual. Então, não que os russos não celebram o Natal em 25 de Dezembro, apenas o fazem em um calendário diferente do da maioria dos países. Mas ninguém na Rússia fica pensando em contas nem nada. Apenas sabem que dia 07 de Janeiro é Natal e pronto. Contudo, os russos sabem que os católicos comemoram o Natal neste dia 25/12 e os cumprimentam por isso. Para ocidentais que são casados com cidadãos russos, existe a possibilidade de comemorar o Natal duas vezes, para respeitar as tradições dos dois povos.

Toda essa explicação aí acima significa que o dia 25 de Dezembro é um dia comum na Rússia? Exatamente! Os dias 24 e 25 de Dezembro são dias de trabalho como qualquer outro no país. Geralmente o ano letivo termina no dia 27 ou 28 de Dezembro e nas empresas no dia 30. Depois disso, a maioria das pessoas ganha um mega feriadão até o dia 10 de Janeiro, dentro do qual se celebra o Natal. Somente os serviços essenciais funcionam nesse período. No dia 11 a vida volta ao normal, com as escolas retornando e todos que estavam sem trabalhar nesse feriadão voltando a atividade.

Devido aos anos de socialismo na antiga URSS, que era contra qualquer forma de religião, o Natal na Rússia tem algumas diferenças com o Natal ocidental. Por exemplo, a árvore de Natal é chamada de árvore de Ano Novo, mas que tem a mesma "cara" da árvore natalina. Não existe uma estatística oficial de quantas pessoas comemoram o Natal, mas no "olhômetro", mais ou menos metade da população comemora, a outra metade não. Mesmo os que não comemoram costumam dizer "Feliz Natal" quando encontram alguém que o faz. Outra coisa inexistente no Natal russo é a presença do Papai Noel. Em vez dele, os russos pensam no nascimento de Jesus e esperam o seu retorno. Afinal, é isso que se celebra no Natal, mesmo que muitos já se tenham esquecido disso.

No dia de Natal, os russos geralmente se reúnem em família para conversar e comer. Nesse dia pouco se bebe, afinal, é uma festa religiosa. Tampouco se come muito, como é tradição em festas na Rússia. Os adultos presenteiam as crianças e vice versa, mas com coisas com a temática religiosa, como velas, incenso e outras coisas relacionadas. Se a família é extremamente religiosa, ela vai à igreja nesse dia também. A maioria das pessoas apenas fica em casa mesmo e celebra com a família. Até pouco menos de uma década, poucas pessoas comemoravam o Natal. De uns anos para cá entretanto, as pessoas começaram a pelo menos dizer "Feliz Natal" umas as outras (coisa que não acontecia) e passaram a visitar os parentes que comemoravam essa data (principalmente as avós, que são chamadas de babushka). Então, agora está mais comum ver pessoas celebrando o Natal do que há algum tempo. 

No momento é isso. Qualquer dúvida ou questão, só comentar aqui embaixo que eu te respondo ok? Se você comemora a data, então, um feliz Natal para ti. Se não comemora, espero que as coisas fiquem bem para você da mesma maneira. Até a próxima!
Ler mais »

sábado, 20 de dezembro de 2014

O Museu Geral da região de Tomsk

Olá pessoal! Já fazia tempo que eu não falava nada sobre a cidade onde estou, mas encontrei algo muito interessante por aqui e vou compartilhar com vocês. Ele é o Museu Geral da região de Tomsk (Томский областной Краеведческий музей).

Museu Geral da região de Tomsk
Primeiro, por que Museu Geral da região de Tomsk? Traduzi assim o nome do museu porque ele não é um museu apenas de história, de cultura, de história natural ou algo assim, mas de tudo isso ao mesmo tempo. O museu é dedicado a estudar toda a região da Tomskaya Oblast' ("estado" de Tomsk), em todos os aspectos. As pesquisas de diversos setores de conhecimento como arqueologia, antropologia, geologia, zoologia e todos as "-gias" que você possa se lembrar, estão reunidas neste local. Tudo muito bem organizado e em diversas salas. Você tanto pode visitar todo o museu (440 rublos por pessoa, sem foto, com foto, adicione 50 rublos), ou pode visitar cada sala independente. Se você está com pouco tempo ou só quer saber sobre uma determinada coisa, esse modelo pode ser mais interessante. Cada sala tem o seu preço, variando entre 40 e 130 rublos cada uma. Você pode também visitar só o primeiro (200 руб) ou só o segundo andar (240 руб).
Ler mais »

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Lendas e folclore russo

Olá amigos. Como trabalho com educação e uso o folclore brasileiro nas minhas aulas, venho falar um pouco sobre o folclore russo.

Baba Yaga (Баба Яга)
As lendas folclóricas russas são muito antigas. Infelizmente, muito da mitologia eslava se perdeu quando da ascensão do cristianismo como principal religião popular. Todavia, nos últimos tempos, alguns pesquisadores estão tentando redescobrir e remontar todo o cenário mitológico dos antigos povos eslavos, dos quais os russos são descendentes. Muitos personagens simplesmente desapareceram, especialmente os que eram deuses ou tinham poderes como tais. Outros (que provavelmente eram mais presentes no imaginário popular) foram mudados, como a Baba Yagá (Баба Яга), por exemplo. Provavelmente um dos personagens mais famosos do folclore russo, ela era uma velhinha boa que ajudava a curar as doenças das crianças e acabou virando uma espécie de bruxa malvada que as come. Uma banda de Black Metal da Suécia chamada Arckanum fez um vídeo clipe de uma canção que mostra a Baba Yagá na floresta. Mas é um vídeo muito mal gravado, com imagem bastante tosca, e áudio muito ruim. É muito mais engraçado do que qualquer outra coisa e não honra as lendas da velha. Caso tenha ficado curioso, a música se chama Gava Fran Trulen.  

Os contos de fadas russos, como é de se supor em lendas desse tipo, encenam a clássica luta entre o bem e o mal. Depois de muitas dificuldades e parecer que não vai dar, o bem triunfa. Mas o herói sempre tem valiosa ajuda de diversos seres, como os animais da floresta com poderes mágicos (ursos, lobos e outros), a Baba Yagá, que, quando o herói faz tudo certo, aparece com algum conselho valioso ou algum item mágico que o ajudará na sua aventura (uma espada mágica, um novelo de lã que mostra o caminho etc). Nos contos mais antigos a Baba Yagá poderia até ser parente da esposa do herói, como uma tia ou avó. 

Três dos bogatyr mais respeitados do folclore russo
Os personagens do bem podem ser de várias formas: desde um trouxa que não tem poder de nada mas tem um bom coração, um bogatyr (богатырь - um homem de enorme força) que protege seu povo, uma mulher muito esperta e prendada que dá inspiração ao herói ou faz coisas incríveis para proteger suas crianças, um trabalhador muito devotado e habilidoso no seu ofício e, claro, muito honesto. Exemplos de heróis são Ivan Durák (Иван Дурак; bom coração), Iliá Muromets (Илья Муромец; bogatyr), Maria Iskusnitsa (Марья Искусница; mulher prendada), Levsha (Левша; bom trabalhador), mas há muitos outros. A imagem ao lado mostra três dos mais conhecidos bogatyr do folclore russo. O quadro se chama "Os três bogatyr" (Три богатыря), e foi pintado por Vasnyetsov (Васнецов). Os retratados são, da esquerda para a direita Dobrynya Nikititch (Добрыня Никитич), Iliá Muromets e Alyosha Popovitch (Алёша Попович).

Lyeshi (Леший)
No folclore russo é comum a presença do espírito de um lugar. Existe o espírito da floresta que se chama Lyeshi (Леший) e cada floresta tem um. Ele é o dono da floresta e pode tanto te ajudar a caminhar pelas florestas quanto pode te perder e nunca mais você volta. Tudo depende se você foi bom com a natureza ou não e, também do humor dele. Se ele não estiver em um dia bom, você se dá mal. Muitos caçadores nas regiões mais remotas da Rússia ainda seguem as tradições antigas e fazem o possível para não irritar o Lyeshi e assim garantir que sempre voltarão após uma caçada. Há também o espírito da casa que é o Domovoi (Домовой). Assim como o Lyeshi nas florestas, cada casa tem o seu próprio. Se você respeita esse espírito, deixando um pouco de leite para ele à noite, sua casa sempre estará bonita e sua família feliz. Caso contrário, se os donos da casa brigam muito por exemplo, o Domovoi fará sua vida bem difícil neste lugar.

Kaschei - Koschei Imortal (Кащей - Кощей Бессмертный)
Os vilões normalmente são entes bastante poderosos, embora nem sempre seja assim. Podem ser seres reais como um tzar que explora o seu povo e não é muito inteligente, ou seres fantásticos, como o Kaschei/Koschei Imortal (Кaщей/Кощей Бессмертный - ambos leem-se cá-shiei byes-smyért-ny) que é "o tzar do mal". Contudo, afora o Koschei e o Solovyei Razboinik (Соловей Разбойник - O Rouxinol Ladrão), que são sempre perversos, os vilões são ambíguos e podem ser maus em uma história, mas ajudar o herói em outra trama. Essa característica ambígua acontece principalmente com a Baba Yagá por razões já explicitadas. Exemplos de vilões são os já referidos Kaschei, Baba Yaga e Solovyei Razboinik, além das Kikimoras (Кикимора), as Rusalkas (Русалка), povos inimigos do país etc.

Se quiser conhecer alguns contos de fadas, pode clicar aqui e conferir alguns posts de um site sobre contos russos. Eles realmente valem a pena. Particularmente gosto bastante desses contos. Dou um link para outro site, coisa que não costumo fazer porque não escrevi nada sobre os contos e eles são algo extensos.

Por enquanto é isso pessoal. Claro que não falei nem 1% de tudo que o folclore russo pode oferecer, mas, no geral, é isso. Existem sites muito interessantes com essas lendas. Tenho certeza que você vai gostar deles. Mas, se quiser perguntar sobre algo que não tenha ficado muito claro, só comentar aqui que eu te respondo, ok? Até a próxima.




Ler mais »

sábado, 13 de dezembro de 2014

Como é uma cidade típica russa?

Olá a todos. Sempre falo da Rússia, das cidades, da cultura e tudo mais. Mas, como é uma cidade típica da Rússia? Vou tentar fazer um apanhado geral sobre isso.

Estátua de Lenin em Tomsk
De uma forma geral, as cidades na Rússia apareceram de diversas maneiras. As mais antigas começaram em torno de um forte de pedra chamado kremlin. e foram crescendo. Outras apareceram devido a uma estação de trem, como ao longo da Transiberiana. Isso aconteceu principalmente do meio para o fim do século XIX. Outras tantas apareceram e cresceram nos tempos soviéticos, quando foram instaladas diversas fábricas próximo a cidades pequenas e essas aumentaram muito seu tamanho e importância. A organização é parecida em quase todas elas: ruas compridas e retas, entrelaçadas, quase todas com nomes relacionados à revolução socialista de 1917. Todas as cidades têm ao menos uma praça (muitas vezes também uma rua ou a principal avenida da cidade) em homenagem a Vladimir Lênin. Muitas mantém suas estátuas em homenagem ao grande líder da revolução. Em Tomsk, ela permanece. A principal avenida da cidade se chama Lênin e há uma praça também em sua honra (onde fica a estátua da foto acima).
Ler mais »

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Os perigos do inverno

Olá você! Na Rússia, dezembro é sempre relacionado ao inverno. Mas nem sempre o inverno é tão bonito e branquinho. Ele pode ser bastante perigoso. Vamos dar uma olhada no outro lado do inverno.


Não é muio difícil ficar assim no inverno
Claro que o maior perigo do inverno é ficar doente. Várias doenças acometem as pessoas nessa época, especialmente as respiratórias e as reumatoides. Em Tomsk existe até um hospital especializado apenas em doenças de nariz e ouvido. E quando esfria, ele fica mais e mais cheio de gente. É comum alguém que você conhece sumir do trabalho por um tempo e depois reaparecer dizendo que ficou doente. Por mais que você se agasalhe, é bem provável que você ficará no mínimo resfriado ao menos uma vez no inverno (ainda não aconteceu comigo, vamos ver quanto tempo eu resisto). Coqueluche e pneumonia são doenças que podem ser contraídas nesse clima frio com mais facilidade que no Brasil, por exemplo. 


Caminhão que joga areia na estrada
Outro grande perigo do inverno é quando as estradas congelam e têm apenas gelo na pista. No ponto de ônibus em frente à universidade que trabalho a pista está toda coberta de gelo e, por algum motivo, ninguém a limpa. Os ônibus sempre têm que andar muito lento nessa parte e, quando eles param, os motoristas já contam com um percentual de deslize para não bater no ônibus parado à frente. Mesmo assim, algumas vezes os veículos derrapam, principalmente de traseira e podem fazer um strike com as pessoas que estão vacilando no ponto. Muito cuidado enquanto estiver esperando um coletivo. Para evitar acidentes, caminhões carregados de areia a espalham pelas vias para dar mais aderência aos veículos, mas essa areia causa uma grande sujeira nas ruas. Uma alternativa a areia é o sal, que derrete o gelo mais rápido. Mas o sal mancha os solados dos calçados e desgasta as botas de inverno mais rápido. Em Moscou isso é um grande problema e as pessoas criticam muito os governantes por isso. Algumas pessoas até compram meias ou sapatos para seus cachorros, pois alguns sofrem muito com esse sal despejado na rua. 

Imagina só tudo isso caindo na sua cabeça...
Também não é bom andar muito perto das paredes dos prédios ou das casas, Em muitos lugares a neve se acumula demais e uma simples brisa pode derrubar quilos e quilos de neve na sua cabeça. Isso pode ser fatal, dependendo da quantidade de neve, da altura, da velocidade etc. Quando ver uma placa dizendo "СХОД СНЕГА", fique longe da parede. Isso significa "Queda de neve". E isso é realmente muito perigoso. Há também os "sossulki" (сосульки) que são estalactites de gelo que se formam nos tetos das casas. Alguns deles possuem uma ponta bem afiada. Se uma coisa dessas cai em você, é como uma faca vindo do alto direto na sua cabeça. Nada muito legal. 

Mais um tombo na neve. Algo comum na Rússia
Uma outra coisa que pode ser perigosa no inverno são as quedas. As vezes você anda vacilando e acaba não percebendo que anda sobre o gelo. Para se segurar de pé é difícil e, geralmente, você vai no chão mesmo. É comum ver pessoas caindo no inverno e, ao contrário do Brasil, ninguém ri disso. Algumas quedas são sérias, podendo gerar contusões realmente doloridas ou até fraturas. Meus alunos até já me disseram que o normal é cair pelo menos umas cinco vezes por inverno. Eu já caí uma, em frente à universidade. Tirei os dois pés do chão e bati as costas e fiquei com elas doloridas por dois dias. Por sorte não bati a cabeça também. O importante é, quando você perceber que vai cair, não tentar colocar a mão para amortecer a queda. Provavelmente quando a sua mão tocar no chão, ela vai escorregar também e possivelmente vai bater a cara, queixo ou alguma parte da cabeça com ainda mais força. Quando for cair, tente ao menos se virar para cair de lado. Mesmo que é bem provável que será rápido e não dará tempo de fazer muita coisa. 

Por enquanto é isso. Qualquer dúvida ou outra coisa, comente aqui que eu te respondo o mais rápido possível ok? Até a próxima!




Ler mais »

sábado, 6 de dezembro de 2014

Vocabulário russo para o frio

Olá amigos! Notei uma coisa nas minhas conversas com os russos: existe um verdadeiro vocabulário à parte somente para falar sobre o frio e coisas relacionadas a ele. Vou falar sobre algumas dessas palavras.

Um dia com metel' fraco
Os russos têm diversas palavras para definir precisamente varias formas do frio. Algumas delas existem na língua portuguesa, mas algumas realmente dá só para descrever, não existe uma palavra correspondente. Vamos a algumas delas:

Moroz (мороз) - clima absurdamente frio, geralmente abaixo de -10. Por mais que você esteja agasalhado, você sente seu rosto congelando. Além disso, quando você anda na neve, ela faz um "rangido". O moroz mais forte até congela de leve suas narinas e você sente o ar gelado entrando no seu corpo. O mais incrível é que, geralmente, quando tem moroz, o céu está azul e o sol está brilhando.

Izmoros' (изморось) - é algo um pouco difícil de presenciar, já que acontece logo cedinho pela manhã do meio pra final do outono. O orvalho congela rapidamente em uma planta. Parece uma cobertura de cristal sobre as folhas e flores que ainda restam. Realmente muito bonito.

Desenhos de inei na janela
Inei (иней) - camada de gelo que cobre as árvores e as janelas, formando bonitos "desenhos". Aparece em tempos de moroz. As árvores iluminadas com luzes brancas tentam imitar esse inei.

Pozyomka (позёмка) - é quando o vento bate forte e gelado e levanta a neve que está acumulada no chão, mais ou menos até a altura dos joelhos. Acontece bastante em fevereiro.

Metel' (метель) - para essa temos uma palavra parecida: nevasca. Mas não é exatamente isso. É como uma pozyomka mais forte, quando a neve voa para todos os lados, inclusive na sua cara.

Gololyod (гололёд) - depois de um tempo de neve, a temperatura sobe para graus positivos e a neve vira apenas gelo muito escorregadio. Parece que você está andando na manteiga de tanto que escorrega.

Inei nas árvores
Sugrob (сугроб) - dunas de neve após nevar intensamente. Elas aparecem aos lados das calçadas, principalmente quando removem a neve das estradas e até cobrem os arbustos e plantas.

Nast (наст) - gelo que cobre a superfície de um rio ou lago. É possível andar sobre ele, quando ele é mais grosso. Algumas pessoas usam brocas para furar esse gelo do nast e pescam.

Kolotun (колотун) - gíria para quando está tão frio que você está até tremendo e batendo os dentes.

Dubniak (дубняк) - outra gíria para quando está tão frio que você nem sente mais seus pés e mãos e já não tem vontade de (ou não consegue) se movimentar. Só cair e morrer mesmo.

No momento é tudo, pessoal. Devem haver mais palavras que são difíceis de traduzir em português. Assim que as conhecer melhor, volto a falar delas, ok? Até a próxima!



Ler mais »

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

O inverno na Rússia

Olá amigos! E finalmente o inverno chegou! Oficialmente, no dia 1 de Dezembro começou o inverno na Rússia. Sim, no dia 1. No Brasil as estações se iniciam entre os dia 21 e 22 dos seus respectivos meses. Na Rússia não. As estações começam oficialmente no primeiro dia dos seus meses. Vamos falar um pouco sobre ela.

Rio Tom' congelado e pronto para se poder caminhar sobre
Embora o inverno tenha começado na última segunda feira, para falar a verdade, o inverno já está aqui em Tomsk desde o começo de outubro. No dia 9 de outubro tivemos -5°C, mas isto foi apenas o começo. Nas últimas duas semanas a temperatura tem variado entre -20°C e -36°C. Muitos lugares no mundo não têm essas temperaturas no seu inverno. Mas aqui é a Sibéria, "a geladeira do mundo". As pessoas daqui, principalmente as velhinhas, dizem que esse inverno será bastante frio, já que o verão foi bem quente. Em janeiro, as temperaturas podem chegar a -45°C ou -47°C em Tomsk. A diretora da faculdade que eu trabalho me disse quando ela era jovem as temperaturas por aqui iam até abaixo de -50°C. Ao que parece o tal efeito estufa está fazendo das suas por aqui também. No inverno, os dias começam tarde, ficando claro somente por volta das 8 ou 9 da manhã e acabam muito cedo, mais ou menos 3 ou 4 da tarde. Em algumas regiões mais para o norte do país o dia nem chega a nascer, ficando apenas meio claro como numa penumbra.

Um día de inverno com neve em Tomsk
Para os russos o inverno é um período mais pensativo, reflexivo e até um pouco depressivo. Como o período de luz do dia é breve, muitas pessoas acabam se sentindo mais tristes e meio sonolentas, além de pouquíssima vontade de ir trabalhar. Eu ainda não tive problemas com isso, mas minha esposa muitas vezes se sente exatamente assim. Alguns colegas de trabalho já disseram que janeiro é o mês mais difícil do inverno, Mesmo que não tenha aulas nesse mês, é o período do ano que é mais frio, mais escuro e as pessoas só saem de casa para ir trabalhar. Até por que, há muita neve em toda parte e é difícil andar por aí, além de ser fácil escorregar ou cair e se machucar seriamente. Falando em cair, muitos caem doentes no inverno. Alguns apenas resfriados, outros pegam uma gripe mais forte. Já algumas pessoas chegam a ter até pneumonia. 


Parus que fotografei outro dia perto de casa
É também o tempo que a natureza descansa, as árvores ficam sem folhas, os ursos hibernam, a maioria dos pássaros estão no sul onde tem verão e todo lugar está coberto com neve. Alguns pássaros nem vão embora, como os do gênero Parus (синичка - sinitchka), que são endêmicos da região e não migram. Eles têm esse nome por causa da sua coloração azul (синий - sinij em russo). Já outros pássaros, em vez de ir embora, vêm para o norte, como é o caso o dom-fafe (снегирь). Seu nome em russo significa "de neve". Na verdade eles vão para o sul, mas eles são do norte do país e o "sul" para eles é a região de Moscou, onde já é bem frio para muitos animais.

Pyetch no Museu Histórico de Tomsk
Nos tempos antigos, o inverno era esperado com ansiedade pelos moradores do campo. Os homens trabalhavam duro durante toda a primavera, verão e outono. No inverno, eles só tinham o trabalho de recolher a lenha para manter a casa aquecida, mas geralmente o faziam no verão. Então, não tinham nenhuma atividade fixa. Alguns usavam esse tempo apenas para ficar bêbados e deitados o dia inteiro na pyêtch (Печь), uma espécie de forno misturado com lareira nas casas antigas, além de incomodar a mulher para lhes fazer comida e mandar as crianças para brincar na neve (e elas iam com o maior prazer). Outros, ao contrário, usavam esse tempo livre para expressar sua arte, desenvolvendo bonitas peças de madeira ou barro, como colheres, bandejas, brinquedos etc, que serviam tanto para utilidade doméstica ou decoração. Para as mulheres mudava pouco, afinal, não precisavam trabalhar no campo, mas o trabalho de casa nunca termina. 

Nos dias atuais algumas pessoas também esperam muito pelo inverno, já que ele é associado ao período de Ano Novo (e também ao grande feriado que vem depois do Ano Novo), que é muito bem quisto pelos russos. Outros anseiam pela montagem dos ringues de patinação no gelo, ou início da temporada de esqui e snowboard. As crianças continuam sempre querendo brincar na neve, fazendo bolas para jogar uns nos outros e bonecos de neve. Algumas fazem tobogãs para escorregar e outras até fazem fortes e castelos de neve. Não só as crianças, mas também os adultos fazem essas coisas de neve. Inclusive existem vários concursos de esculturas no gelo. Já algumas pessoas não gostam desse período e reclamam que se sentem deprimidas e que os dias são muito curtos e escuros.

"Pôr do sol na floresta invernal", de Klever
Nas artes o inverno também é bastante reverenciado como um tempo bonito e austero. Os dois poemas mais conhecidos sobre o inverno são "Белая Берёза" ("Bétula Branca") de Serguey Iessienin e "Мороз и солнце"  ("Frio e Sol") de Aleksandr Pushkin, que descrevem duas das coisas mais bonitas do inverno russo, as árvores cobertas de neve ou inei e o sol invernal que reflete na neve e deixa tudo brilhante. Muitos pintores retrataram o paisagem do inverno em seus quadros. Alguns dos mais famosos são Kustodiev, Levitan, Klever, além de outros. Na música, compositores também usam o inverno como tema de suas obras. Exemplos são mais uma vez Tchaikovsky, que compôs um ciclo de canções sobre os meses do ano e as canções de dezembro, janeiro e fevereiro trazem o clima desses meses. Além delas, a sua sinfonia numero 1, opus 13 se chama "Sonhos de inverno" (Зимние грёзы). Muitas canções populares citam o inverno. Uma em especial é Kaby ne bylo zimy (Кабы не было зимы), que foi composta nos tempos soviéticos para o desenho animado Prostokvashino (Простоквашино). Até uma banda de hard rock/heavy metal suíça chamada Krokus compôs uma música chamada "Russian Winter" (Inverno Russo).  

Por enquanto é isso senhoras e senhores. Como o inverno está apenas começando, falaremos mais sobre ele em posts futuros. Até já mencionei algumas coisas relacionadas ao inverno como o que fazer quando você fica com muito frio na rua ou como se preparar para o clima na Rússia. Até a próxima!




Ler mais »