quinta-feira, 28 de maio de 2015

A antiga cidade de Zaraysk

Olá amigos. Como estou em uma cidade menor fora de Moscou, estou tentando conhecer todos os lugares pequenos por perto. Hoje fui para Zaraysk, um lugar que pouca gente fora da região de Moscou conhece. Vou descrever um pouco do que tem por aqui.

Estátua a Dmitri Pojarsky, heroi nacional russo
Zaraysk é uma pequena cidade bastante antiga, fundada em 1146, ou seja, um ano mais velha que Moscou. Ela dista mais ou menos 160 quilômetros ao sudeste da capital, já na fronteira com a Riazanskaya oblast'. No passado inclusive a cidade pertencia a essa oblast', mas depois de algum tempo passou para o controle da Moskovskaya oblast', onde ela está hoje. Sua população gira em torno de 24.500 pessoas (dados de 2010). A cidade vem experimentando uma queda na população de acordo com os últimos censos nacionais. Em 1989 eram 27.000 habitantes e em 2002 já eram 25.000 (números aproximados). Localiza-se na margem direita do rio Osyotr (Осётр), que deságua no rio Oka, o maior da região.
Ler mais »

segunda-feira, 25 de maio de 2015

A minúscula cidade de Bronnitsy

Olá, amigos! Estou de volta à região de Moscou e já conheci mais uma cidadezinha chamada Bronnitsy (Бронницы). É um lugar bem pequeno, então dá para falar bem rápido sobre ele.

Praça central de Bronnitsy
Bronnitsy fica no meio do caminho entre o aeroporto internacional Domodedovo e Voskresensk, cidade natal da minha esposa. Você também vai passar por essa cidade, se você for de transporte rodoviário de Moscou para Kolomna, Riazan ou Tula. Ela tem pouco menos de 22 mil habitantes e já é algo antiga (a primeira menção à cidade foi feita em 1453). Outro fato sobre a cidade de Bronnitsy é que ela foi comandada pelos herdeiros (filho e neto) do grande poeta russo Alexander Pushkin.
Ler mais »

sexta-feira, 22 de maio de 2015

O teatro de marionetes de Tomsk

Olá amigos. Já faz tempo que não falo nada sobre Tomsk. Falarei sobre o teatro de bonecos que descobri há pouco tempo por aqui. É algo bem interessante e pode ser um pouco assustador também.

Espetáculo se desenrolando
O teatro de marionetes de Tomsk fica em uma casa no centro da cidade, mas em um lugar um pouco escondido. Acho que por isso demorei tanto para encontrar o lugar. Ele fica mais ou menos perto do parque Lagerny Sad, em uma rua menor e menos movimentada. Depois de entrar nessa rua, é necessário descer uma viela e passar sobre uma ponte improvisada sobre uma vala grande. O teatro fica em uma casa de madeira antiga, que foi toda modificada para se transformar em um pequeno teatro para os espetáculos. Tudo foi construído pela iniciativa de um homem, que trabalha com bonecos e robôs em geral e queria fazer algo com sua profissão que fosse dedicado às artes. Ele transformou sua casa no teatro, todo em madeira (o lugar tem um cheiro muito bom de madeira). Tanto que antes e depois do espetáculo, você pode andar pelo lugar e até ir dentro da casa, onde você vê o guarda-roupa e cama dele.
Ler mais »

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Comida Russa de Verdade: Tem arroz e feijão na Rússia?

Muita gente me pergunta se tem arroz e feijão na Rússia. Além disso, também querem saber o que se come no dia a dia no maior país do mundo.Minha esposa escreveu sobre isso no blog dela e, para matar a sua curiosidade, dá uma passada por lá. A resposta provavelmente vai te surpreender. Para saber, clique no link abaixo:






Ler mais »

quarta-feira, 13 de maio de 2015

O museu da mineração Krasnaya Gorka em Kemerovo

Olá, amigos e amigas! A cidade de Kemerovo possui um museu interessantíssimo chamado "Krasnaya Gorka" (Красная Горка - Morro Vermelho). 

Logo do museu Krasnaya Gorka
Quando comecei a escrever sobre a cidade de Kemerovo, não sabia se a chamava de cidade soviética ou cidade do carvão, já que ambos aspectos são bastante presentes nesse lugar. O museu Krasnaya Gorka conta a história das maiores minas de carvão da Rússia que ficam numa região conhecida por Kuzbass (Кузбасс), próximo a cidade de Kemerovo na parte sul da Sibéria. A entrada para a parte de cima do museu custa 100 rublos para russos e 250 para estrangeiros. Minha esposa e sua amiga compraram meu ingresso e eu fiquei em silêncio o tempo inteiro para ninguém descobrir que não sou russo. E quando dirigiam a mim, só o faziam em russo. Se você não fala essa língua, não terá um tradutor para você. Portanto, é melhor ir com amigos que a conheçam, porque vale a pena não apenas ver, mas entender tudo o que o museu tem em seu acervo.

Entrada do museu com seu maquinário colossal
No jardim de entrada do museu você pode se divertir com os carros gigantes usados para extração de carvão. Tratores, caminhões, dragas etc. Tudo é de verdade! O museu em si tem três salas com diversos objetos encontrados nas casas das pessoas, utensílios de trabalho dos mineiros e muitas informações sobre a cidade de Kemerovo, a Kemerovskaya Oblast e as minas do Kuzbass. Por exemplo, você descobre que haviam muitas possibilidades de nome para a cidade de Kemerovo (mais de 20). Todos relacionados com a indústria de carvão ou nomes soviéticos. Mas os cientistas clamaram por Kemerovo que era como a região era conhecida há muitos anos entre seus habitantes. Também aprendemos que Kemerovo virou a capital por acidente. No começo o governo escolheu Leninsk-Kuznetsky, mas ela não tinha um prédio para a prefeitura, ao passo que Kemerovo tinha.

Exemplo de nakhalovka encontrado no museu
Um outro fato interessante é que na cidade existia (e existe até hoje de facto) o fenômeno das favelas. Inicialmente a ideia era fazer uma cidade compacta e bem planejada com as ruas retas e as casas de 2 andares. Construíram todo o centro desse jeito. Os trabalhadores das minas possuíam casas muito confortáveis de 5 cômodos. Mesmo assim, logo muitas pessoas começaram a construir bairros desorganizados ao redor do centro, como muita gente queria ganhar dinheiro nas minas. A aparência desses bairros é exatamente mesma coisa que as favelas no Brasil, só que os tetos tem uma caída para não acumular neve. Os moradores de Kemerovo os chamaram de nakhalovka (нахаловка) o que significa "um bairro de pessoas folgadas". Muitos deles existem até hoje, nas extremidades da cidade. Por isso, quando entramos em Kemerovo, ela parecia bastante estranha e que não tinha nenhuma estrutura.

Mineiros no trabalho pesado
Para acessar a parte de baixo é necessário desembolsar mais 100 rublos pagos na entrada (250 para estrangeiros) e deve haver 7 pessoas que não precisam estar juntas, podem se juntar ali na hora mesmo. Essa parte de baixo é uma réplica de uma mina de carvão típica. Os utensílios de mineração que vimos na parte de cima estão montados em manequins que "executam" o trabalho. Você vai aprender como os mineiros trabalhavam em várias épocas e assistir a um vídeo histórico. Nós aprendemos que nos anos da Segunda Guerra Mundial todos os homens da cidade que podiam ser soldados, foram recrutados para o fronte. Como o país precisava de muito carvão, as minas não poderiam parar. Por isso as mulheres trabalhavam nas minas do Kuzbass em vez dos homens. Normalmente os homens trabalhavam por 8 horas e as mulheres trabalhavam 12 e tinham que produzir mais carvão. Muitas morreram por causa de acidentes ou porque não aguentavam o trabalho tão duro. A visita é guiada e o guia explica tudo de uma forma bem didática e engraçada, porque ele grita muito e se empolga com as explicações.

Jardim holandês no museu
Além dos russos havia muitos estrangeiros que trabalhavam nas minas, principalmente holandeses e americanos. O fundador da colônia estrangeira do Kuzbass foi um holandês comunista chamado Sebald Ustinus Rutgers. O museu preservou a casa dele e perto tem um pequeno jardim holandês com ícones da cultura holandesa, como um pequeno moinho de vento e tamancos gigantes. Por perto tem um monumento ao mineiro e seu cavalo. Os cavalos eram muito importantes nas minas e na cidade, porque até 1939 não existiam carros nem ônibus em Kemerovo. Depois você desce para um mirante de onde dá para ver o rio Tom e a parte industrial de Kemerovo. Nesse mirante há bancos para sentar e uma estátua de Santa Barbara, protetora dos mineiros.

É isso aí, amigos e amigas! Espero ter feito um bom resumo do que vi, mas claro que é bem melhor ver pessoalmente. Até a próxima!



Ler mais »

sábado, 9 de maio de 2015

9 de maio: o dia da vitória na Rússia

Olá leitores! Hoje é o segundo dia mais importante na Rússia, atrás apenas do dia de ano novo. É o dia da vitória soviética sobre a Alemanha Nazista (День Победы). Vamos ver o que acontece nesse dia.

Soldado soviético hasteando a bandeira da URSS no Reichstag
Um pouco de história para começar: no dia 22 de junho de 1941 a Alemanha Nazista invadiu a União Soviética, desrespeitando o tratado de não-agressão firmado entre ambos países dois anos antes. Stalin foi ao rádio e convocou toda a nação a lutar contra os invasores germânicos naquela que seria conhecida depois como a Grande Guerra Patriótica (Великая Отечественная Война), que ameaçava a existência do país, no caso de uma derrota. Os soviéticos resistiram e lutaram bravamente, saindo de uma situação muito difícil e claramente inferior para uma virada espetacular e vitória incontestável. A capitulação incondicional da Alemanha foi assinada à 00:43 de 09 de maio de 1945, no horário de Moscou (22:43 de 08 de maio no horário alemão). Mesmo sendo um dia tão importante, ele só virou feriado em 1965 porque o país precisou trabalhar duro para reconstruir tudo que foi destruído na guerra. 2015 marca as comemorações de 70 anos do dia da vitória.

Parada militar em frente à Praça Vermelha
Esse dia é recheado de demonstrações explícitas de patriotismo. Há uma parada militar pela manhã em várias cidades pelo país, nem sempre com militares. A principal acontece, claro, em Moscou. Para não correr o risco da festa ser estragada por uma chuva, as nuvens são pulverizadas com cimento. Ou seja, nunca acontece um 9 de maio sem sol e céu azul na capital. Aqui em Tomsk, alunos de diversas escolas ensaiavam no parque Lagerny Sad durante os fins de semana antecedentes à data. Uma grande queima de fogos acontece ao anoitecer nas cidades. A principal acontece na Praça Vermelha, mas a que ocorre na Universidade Estatal de Moscou rivaliza em beleza. Esses são eventos grandiosos, como nos tempos soviéticos. Tudo friamente calculado, como diria o nosso heroi da América Latina.

Fita de São Jorge. Bastante popular na época do 9 de maio
As pessoas nesse dia relembram seus parentes que caíram na luta contra os nazistas. Os que ainda estão vivos são homenageados e recebem mais medalhas para sua longa coleção (normalmente a cada dez anos são entregues medalhas aos veteranos). Elas são entregues em solenidades após os desfiles militares. Nos dias anteriores à comemoração são distribuídas fitas com listras laranjas e pretas, que são as fitas de São Jorge (Георгиевская лента). Ela foi criada nos tempos de Catarina II, a Grande, imperatriz do Império Russo entre 1762 e 1796. Era a mais alta condecoração do império e sempre vinha acompanhada de uma pensão do governo, que era hereditária. Mas, se alguém trouxesse a desgraça para a família, a fita e a pensão eram retiradas. Nos tempos soviéticos, várias condecorações com nomes de santos foram abolidas, mas essa foi mantida. Em 2006 essas fitas começaram a ser distribuídas para o grande público. A lógica é que, a cada ano que passa, cada vez menos veteranos estão vivos para contar a história da Grande Guerra Patriótica, então, essa fita é dada às novas gerações para que nunca se esqueçam daqueles que morreram para defender a pátria do inimigo externo. Ela é vista em toda parte e outrora fora um motivo de orgulho. Mesmo que hoje, na opinião de alguns, seu uso já tenha ficado banalizado (eles pensam que só os veteranos a deveriam receber). Por isso, nem todos a pegam. Mas ela está presente nos ônibus, muros, mochilas, carrinhos de bebê, ternos de apresentadores de telejornais e quase todos os lugares possíveis e imagináveis.

Deixo aqui abaixo o vídeo da parada na Praça Vermelha, a mais importante do país do ano de 2015. Foi exatamente isso que passou na TV o dia inteiro. Infelizmente não tem legendas, mas quem sabe no futuro eu consiga adicionar (podem deixar dicas de bons programas para fazer legendas nos comentários).


É isso senhoras e senhores. Se tiverem alguma pergunta é só comentar aqui embaixo. Até a próxima!



Ler mais »

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Comida Russa de Verdade: Chocolate na Rússia

Comida Russa de Verdade: Chocolate na Rússia: Quer saber como é o chocolate na Rússia? Nunca imaginou como é o chocolate daquela parte do mundo? Dá uma olhada no que minha esposa escreveu (em português) sobre o assunto. Ela entende muito de chocolates. :)

Um dos melhores chocolates da Rússia. Experimentei e aprovei!
Ler mais »

terça-feira, 5 de maio de 2015

Kemerovo: a cidade que parou no tempo

Olá, amigos! Estou na cidade de Kemerovo (Кемерово), a capital da Kemerovskaya Oblast (Кемеровская область). Vou falar um pouco sobre essa cidade e as suas atrações.

Letreiro do Kuzbass no melhor estilo hollywoodiano
Para começar, Kemerovo vem da palavra turca "kemer", que significa algo como "morro que queima". Mas porque em turco? Provavelmente por conta dos povos túrquicos que já viviam na região muito antes da chegada dos russos e que tem uma origem comum com os atuais habitantes da Turquia. A população da cidade é quase a mesma de Tomsk, girando em torno de 550 mil habitantes. A Kemerovoskaya oblast fica em outro fuso horário, uma hora à frente (GMT +7), portanto, a 10 horas do horário de Brasília. Esse oblast é o menor da Sibéria e, mesmo assim, pareceu enorme.
Ler mais »