terça-feira, 30 de junho de 2015

Yurga: um lugar do qual você não vai ouvir falar muito

Olá amigos! Tive alguns problemas com meu visto, então tive que interromper minhas férias em Moscou e voar para Tomsk. Nessa correria toda, acabei conhecendo mais uma pequena cidade siberiana da qual vou falar agora, que se chama Yurga.

Placa de boas-vindas a Yurga
Yurga (Юрга) é uma pequena cidade à noroeste da Kemerovskaya oblast, cuja capital, Kemerovo, eu já visitei (leia sobre ela aqui). Ela tem mais ou menos uns 80 mil habitantes (como a maioria das cidades, vem perdendo habitantes nos últimos anos) e foi fundada oficialmente em 1886, ganhando o status de cidade em 1949. Para falar a verdade, como a maioria das cidades pequenas da Sibéria, não há muito para se ver por lá, por isso disse que provavelmente você não vai ouvir falar muito dela por aí. Alguns monumentos interessantes, igrejas bonitas, uma estação de trem da Transiberiana, uma colônia prisional masculina e uma feminina, onde os presos trabalham duro, uma fábrica de veículos pesados, como caminhões, tratores, tanques etc e... bom, acho que é isso. A cidade em si não é riuim. É bem calma, com avenidas bem largas. Vou falar um pouco sobre eles. As fotos são péssimas porque foram feitas com meu celular (esqueci a câmera), que tem uma câmera bem ruinzinha. Mas creio que voltarei lá em breve, então tirarei fotos melhores. Não quis colocar fotos de internet porque quero usá-las o mínimo possível para lugares que visito.
Ler mais »

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A Basílica de São Basílio na Praça Vermelha em Moscou

Olá senhoras e senhores. Hoje falo para vocês sobre um dos prédios mais conhecidos da Rússia, junto com o Kremlin: a Basílica de São Basílio, na Praça Vermelha em Moscou.

Basílica de São Basilio fotografada por mim
A Basílica de São Basílio (Храм Василия Блаженного ou Покровский Собор) foi erguida entre 1555 e 1561 sob ordens de Ivã IV, o Terrível. Ele mandou convocar um arquiteto italiano bastante conceituado à época para projetar e coordenar a construção da catedral. Existe uma lenda que diz que Ivã, ao ver a obra terminada, ficou tão maravilhado que mandou arrancar os olhos do arquiteto, para que ele nunca mais fizesse algo parecido em nenhum outro lugar. Mas é apenas uma lenda, já que após a finalização da basílica, o mesmo arquiteto fez mais alguns projetos a serviço do czar, tudo documentado. Ela fica no fundo da Praça Vermelha, próxima ao rio Moscou, que passa atrás da basílica. Olhando de fora, ela parece apenas uma igreja bem grande, mas na verdade ela é composta de dez igrejas, todas interligadas por corredores, escadas, portas, passagens e tudo mais. A entrada custa 350 rublos e às vezes a visita é guiada, quando os guias contam histórias a respeito da construção, mas não conseguimos entender quando isso acontece.
Ler mais »

terça-feira, 23 de junho de 2015

Comida Russa de Verdade: Viagem culinária pela Sibéria: cidade Barnaul

A cidade de Barnaul (e todo o estado, o Altaisky Krai) possui muitas opções de comida local.  não provamos todas, as que experimentamos foram muito bem avaliadas por nós. Se quiser saber mais sobre o que você vai encontrar por lá, dá uma olhada no que minha esposa escreveu sobre isso: 



Ler mais »

domingo, 21 de junho de 2015

Ramenskoye: mais que uma mera cidade-dormitório

Olá amigos. Na região da grande Moscou existe uma cidade que parece desinteressante, mas ela possui umas coisas legais de se ver. Ela se chama Ramenskoye.

Plataforma da estação Ramenskoye
Ramenskoye (Раменское) fica, como já disse, na região da grande Moscou, saindo da cidade pelo sudeste. Ela dista mais ou menos 40 quilômetros da capital do país e tem cerca de 140 mil habitantes. Seu nome vem da antiga palavra eslava "раменье" (ramenye), que significa "a beira do bosque". Pode-se chegar lá de carro ou trem (talvez de ônibus também, mas não sei como). Ela é conhecida na região apenas como uma cidade-dormitório, onde as pessoas só vão para dormir, já que os empregos estão (quase) todos em Moscou e, teoricamente, não tem nada lá além de prédios residenciais e comerciais. Na verdade ela é bem assim mesmo. Mas, depois de pesquisar um pouco, descobrimos algo para ver nesse lugar. Se não fosse isso, provavelmente nem iríamos para essa cidade. Lá você pode ver um museu da técnica militar, dentro do Parque da Cultura e Descanso (nome tradicional de parques nos tempos soviéticos). Além disso, pelas ruas da cidade estão espalhadas estátuas de vários personagens de desenhos animados soviéticos. Além de tudo, durante os tempos sem neve, há esculturas feitas de plantas, normalmente animais, como cavalos, esquilos, elefantes etc. Tudo isso fica relativamente próximo à estação de trem da cidade.
Ler mais »

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Comida Russa de Verdade: Como encontrar a bebida que você quer nas lojas da Rússia?

Você tá na Rússia e quer comprar uma bebida, mas não sabe exatamente como a encontrar? Minha esposa escreveu sobre isso e certamente você vai se orientar bem melhor. Dá uma olhada clicando no link abaixo:



Ler mais »

terça-feira, 16 de junho de 2015

O solar Krivyakino em Voskresensk

Olá amigos! Hoje vou falar sobre um pequeno solar na cidade de Voskresensk onde eu moro no momento. 

Um dos três lagos do parque do antigo solar
O solar Krivyakino (Усадьба Кривякино) fica no centro da cidade, perto do rio Moskva. A origem do nome Krivyakino é incerta. Essa é uma ótima chance para entender como era a casa de um aristocrata médio nos tempos do império. Normalmente esse tipo de propriedade tinha um parque, um jardim, uma casa grande e algumas outras construções, como casa dos trabalhadores, um celeiro, estábulo etc.

Existem relatos que o jardim do Krivyakino era muito rico, com pereiras que davam frutas gostosas e com uma estufa, onde havia frutas tropicais. Os lagos do solar tinham muitos peixes. As pessoas dizem que também era possível encontrar cervos e cisnes no parque. Hoje ele já não é tão luxuoso. Os lagos quase não têm peixe, desapareceram os jardins e os animais. Mas algumas árvores antigas são a evidência que o lugar tem uma longa tradição e já foi bem abastado. É difícil imaginar, mas a vila que existia na parte central do parque e que deu início ao solar, começou a sua história nos tempos de Ivã, o Terrível. Nada lembra aquele período agora. 

A casa principal do solar Krivyakino
A casa do solar inicialmente era de madeira. Somente no século XVIII foi construída a casa de alvenaria que você pode ver hoje. Quanto a propriedade do solar,  ele já teve vários donos. Umas famílias venderam-no para outras. Dizem que o compositor Pyotr Ilitch Tchaikovsky queria comprá-lo para ter um solar tranquilo e longe das pessoas, mas o preço era alto demais e ele desistiu. Em 1917, os últimos donos do Krivyakino, a família Liven, fugiram para a Europa e o solar foi nacionalizado. Ele passou por várias etapas de "utilização popular" e, quando a URSS acabou, já estava quase em ruínas. Nos finalzinho dos anos 90, com muitas dificuldades ele foi restaurado e virou um centro cultural.

Entretanto, não dá para entrar na casa principal do solar por enquanto. O centro cultural e o museu ficam numa casa menor do solar. Gostamos bastante desse museu, apesar de ser pequeno. Ele possui muitos objetos antigos, como livros e ícones da igreja ortodoxa já quase caindo aos pedaços, roupas tradicionais e samovares (aparelho usado para fazer chá). Há também uma sala sobre a Grande Guerra Patriótica com cartas do fronte, armas soviéticas e nazistas. A entrada não custa quase nada:, apenas 30 rublos.

Por enquanto é isso, pessoal. Krivyakino foi o primeiro solar russo que eu visitei. Tenho alguns outros nos meus planos. Até a próxima!



Ler mais »

sexta-feira, 12 de junho de 2015

12 de junho: o dia da Rússia

Olá amigos! Se no Brasil o 12 de junho é o dia dos namorados, na Rússia ele é o dia da pátria. Vou te contar o que acontece por aqui nesse dia.

Boris Ieltsin, o primeiro presidente da Rússia soberana
O dia 12 de junho é chamado de "Dia da Rússia" (День России). Nesse dia, em 1990, o Primeiro Congresso dos Deputados do Povo da Russia ratificou e adotou a Declaração de Estado Soberano  da República Federativa Socialista Soviética da Rússia (RFSSR). Ou seja, desse dia em diante, a Rússia voltou a ser um estado soberano, mesmo ainda sendo parte da União Soviética. Somente em 24 de agosto de 1991 ela deixou a União e se tornou um estado independente. A partir de 1994 esse dia começou a ser comemorado como o Dia da Declaração do Estado Soberano da Federação Russa. Em 2002 seu nome foi simplificado para Dia da Rússia e se tornou um feriado nacional. A intenção do governo é marcar uma nova fase na história da Rússia, quando ela volta a ser "dona do próprio nariz" e, ao longo dos anos vem dando cada vez mais ênfase nessa comemoração. 

Cartaz sobre o dia da Rússia
No entanto, muitas pessoas confundem esse dia com um dia da independência, mesmo que em nenhum momento isso tenha sido dito na tal declaração. Em uma enquete realizada em 2003, 65% dos entrevistados se referiram a esse dia como "dia da independência", não como "dia da Rússia". Mas há de se convir que é fácil fazer tal confusão. Como é um feriado bastante "jovem", as pessoas ainda não têm uma grande tradição relacionada a ele. E na Rússia, a tradição é importantíssima. Por causa desse equívoco (provavelmente), muitas pessoas simplesmente não consideram esse feriado algo relevante. Outras, que já entendem melhor todo o significado da data, não acham que seria bom ter se declarado um estado soberano e que esse movimento acabou contribuindo com a derrocada da URSS, visto que era seu maior e mais forte estado, alem de líder de facto da União Soviética. Porém, a Rússia apenas seguiu o que acontecia ao seu redor, já que várias repúblicas já estavam se declarando sobreanas dentro na União. 

Show de comemoração do dia da Rússia
Nesse dia ocorrem muitas comemorações pelo país. Muitas atividades culturais, especialmente shows acontecem por todo lugar, com Moscou e São Petersburgo em posição de destaque. Como sempre, é na Praça Vermelha que tem lugar as maiores celebrações e atividades. O presidente discursa exaltando a pátria, além da condecorar pessoas importantes na sociedade, como cientistas, artistas e outros. Tudo isso é encerrado com uma espetacular queima de fogos de artifício. Como é um feriado no verão, muitas pessoas também aproveitam para, em vez de ir para esses lugares com grande concentração de pessoas, ir para o campo ou floresta, para fazer um churrasco e nem se preocupam com todas essas atividades, já que, para eles, esse dia é apenas de descanso e nada mais. Se o feriado cai num fim de semana, ele é "comemorado" (as pessoas têm um dia de folga) na segunda feira seguinte.

Por ora é isso amigos. Se quiserem saber algo sobre o que acontece nesse dia, é só perguntar aqui embaixo. Até a próxima!



Ler mais »

sábado, 6 de junho de 2015

O Kremlin de Zaraysk

Olá senhoras e senhores. A cidade de Zaraysk (Зарайск) é bem pequena, mas é muito antiga e tem bastante história. Como uma cidade antiga, tem o seu kremlin (кремль), e eu gosto dessas fortalezas. Vou contar o que vi por lá.

Torre lateral do kremlin
O kremlin de Zaraysk não é tão grande quanto o de Moscou por exemplo, mas até que está bastante conservado. Ele tem três fileiras de muros de tijolos vermelhos bem grossos e os portões da fortaleza estão bem inteiros. Em alguns pontos, a fileira central de tijolos está bem deteriorada e em alguns pontos até faltam tijolos, como se tivesse desmoronado. Já em outros lugares é a parte interna e outros ainda a parte externa está bem derrubada. Entretanto, em alguns pontos os muros estão bem inteiros, quase novos. Ou seja, a conservação está, digamos, entre 65 e 70%, o que é bem razoável para uma construção de quase 900 anos (a cidade foi fundada em 1146). Graças a essas barreiras, a cidade nunca caiu em mãos inimigas, apesar de constantes ataques dos mongois (também chamados de tártaros) a todo o país.

Muros da entrada norte do kremlin
Dentro dele há algumas atrações, como uma lagoinha artificial com pedras e uma pequenina fonte, imitando a nascente de um rio. Casinhas para guardar material de manutenção foram construídas próximo à parede oeste da fortificação. Lá também está uma capelinha em homenagem a um grande herói local, o knyaz Fyodor (князь Фёдор), que encontrou ali com um outro heroi, esse nacional, chamado Dmitry Pojarsky (Дмитрий Пожарский), que foi muito importante para a Rússia nos "tempos de dificuldades" (após a morte de Ivã, o Terrível). Aliás, existem várias referências a esse Pojarsky pelo centro da cidade, como uma estátua próxima a entrada principal do kremlin. Ele também virou nome de rua, uma das principais da cidade, no centro. Tudo pequeno, já que o kremlin não é dos maiores, como disse anteriormente.

Catedral de São Nicolau ao fundo e a maior na frente
Além da capelinha, dentro do kremlin existem duas catedrais, uma mais antiga e que hoje está fechada, chamada catedral de São Nicolau, consagrada em 1681 (a mais antiga da cidade ainda de pé). Ela é branca e tem cinco torres, quatro em dispostas em quadrado e uma mais alta no centro. Todas tem cúpulas são pintadas de preto. As paredes têm umas rachaduras grandes e do jeito que está, se ninguém intervir, pode cair logo. Ao lado dela está uma outra catedral bem grande, pintada de amarelo e com o teto verde e muito bem conservada (acho até que foi reformada recentemente). Ela é encimada por um teto redondo, não por cúpulas em forma de espiral, como é tradicional na Rússia. Ainda não consegui descobrir o nome dessa catedral maior, infelizmente. Nela estava um ícone (imagem da igreja ortodoxa) que viaja pela Rússia e que, no momento, é considerado o mais importante do país. No dia seguinte (29/05) ele embarcaria para Moscou. Junto ao ícone estava um rapaz que explicava várias histórias referentes a ele. Um campanário com sinos está instalado ao lado da catedral maior

Exemplo de casa dos aristocratas de Zaraysk
Está dentro dos domínios do kremlin também um museu da região de Zaraysk, que é bem antiga. Conta a história do lugar do ponto de vista histórico, paleontológico e geológico, semelhante ao museu da região de Tomsk, por exemplo. Ele tem dois andares. O primeiro é mais voltado para a área paleontológica e geológica, com exemplares de ossos de mamute e rinoceronte peludo, animais já extintos há bastante tempo. Há também a parte interativa, que mostra exemplares similares de fósseis encontrados em diversas partes. da Europa. No segundo andar estão várias peças das casas de aristocratas e kupiets (os grandes empresários da época do império) de Zaraysk de séculos passados. Estão lá peças de porcelana, vestuário, móveis e outros. Também estão exemplos de casas dos mujiques (camada mais pobre da população), como um berço e uma maquete de uma casa de mujiques muito antiga, chamada "kurnaya izbá". Ela tinha uma grande janela, mas não tinha chaminé. Ou seja, ela ficava sempre cheia de fumaça de qualquer jeito. Muito interessante tudo que está nesse museu.

A entrada custa 100 rublos. Caso queira tirar fotos, tem que desembolsar mais 70 rublos (no menu aqui do lado direito tem um conversor de moedas).

Por ora é isso amigos. Se quiserem saber algo sobre o kremlin de Zaraysk que eu tenha esquecido de mencionar, só perguntar aqui embaixo ok? Até a próxima!



Ler mais »

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Comida Russa de Verdade: Museu de pastila de Kolomna

Em Kolomna, uma cidade perto de Moscou, há um museu bem interessante: um museu de doces. Se te pareceu interessante, leia o que a minha esposa escreveu sobre ele no seu blog. Só clicar no link abaixo. Vale a pena.



museum pastila kolomna moscow russia
Entrada do museu de pastila em Kolomna
Ler mais »

terça-feira, 2 de junho de 2015

O verão na Rússia

Olá senhoras e senhores. E finalmente chegou o verão! Como será o verão na Rússia? Vou tentar mostrar um pouco sobre isso agora.

Noite branca (23:47) no verão de São Petersburgo
O verão (Лето - lê-se lyé-ta) começa oficialmente na Rússia no dia 1 de junho. Diferente do que ocorre no Brasil, as estações começam no primeiro dia do mês, mesmo que, segundo estudos astronômicos, a transição para uma nova estação só aconteça por volta do dia 21 ou 22 do mês. A temperatura sobe bastante e pode bater na casa dos 40 graus ou mais. A vegetação vai atingindo seu ápice nessa época. Desde a metade de maio o clima fica mais quente que nos meses anteriores de primavera (apesar de pessoas dizerem que já houve neve em Tomsk em 15 de maio). Minha esposa tem uma amiga que vive em Salekhard, no norte da Rússia, e ela diz que é possível que tenha neve lá em junho.  Mas esses são casos de regiões extremas do país. Enfrentei 41°C em Tomsk no começo de julho, o mês mais quente do verão, junto com agosto. Não foi fácil, já que as estruturas são para frio extremo e, de repente, vem esse calor anormal. Então, se você não tem um ventilador em casa, você sofre bastante.

Uma outra coisa interessante relacionada ao clima é que, no norte do país (na região de São Petersburgo já é possível ver), nas datas próximas ao solstício de verão (22 de junho), o sol não chega a se por completamente, criando assim a noite branca (белые ночи). Depois do solstício, a noite não chega a escurecer completamente, mas fica como em uma penumbra, voltando a ficar claro bem cedo (mais ou menos às 3 da manhã). Mais para o norte, na região de Murmansk, já no começo de maio não há mais necessidade de ligar a iluminação pública, devido a quantidade de luz no céu. Espero conseguir ver algo disso nesse verão. 

Verão no lago Baikal na Sibéria
No geral, nessa estação as pessoas colocam roupas mais leves e curtas, como é o normal do Brasil. Entretanto é bom ficar esperto porque a qualquer momento pode começar uma tempestade de verão. E ela não é quente e refresca como em terras tupiniquins. Ao contrário, ela vem fria e com vento forte. A temperatura normalmente despenca muito rápido quando começa a chover e vai rapidinho dos 26°C para os 12°C, 10°C. No começo de junho de 2015 enfrentei uma queda de 38°C para 12°C em um espaço de tempo de umas 12 horas. Muitas pessoas saem com roupas leves, mas levam consigo um guarda-chuva ou uma capa para qualquer eventualidade.

Anoitecer de verão no sul da Rússia
O período do verão é bastante aguardado pelos russos, que gostam de neve e frio, mas sempre preferem o sol, céu azul e a possibilidade de andarem mais livres. Muitos me dizem que o Brasil deve ser um Paraíso na Terra, já que sempre tem tantos dias quentes e de céu azul. Esse período do ano é bastante aguardado também porque os russos são loucos por churrasco, que aqui eles chamam de shashlyk (шашлык). E o período do verão é o ideal para irem de carro a alguma floresta, com sua churrasqueira, carnes, amigos e alguma vodka ou cerveja. Os que não bebem levam apenas outras bebidas. Lá eles podem passar o dia inteiro conversando, assando carnes, bebendo, andando pela floresta, enfim, não falta o que fazer nessas ocasiões. E a grande maioria dos russos simplesmente adora tudo isso.

Manhã numa floresta de pinherios, de Savitsky/Shishkin
Nas artes o verão é bastante reverenciado pelos russos. Um dos quadros mais conhecidos na Rússia, chamado "Manhã numa floresta de pinheiros" (Утро в сосновом лесу). Metade dele foi pintado por Konstantin Savitsky (os ursos). O resto foi feito por Ivan Shishkin. E, devido a um colecionador de arte, o quadro acabou entrando para a história como sendo feito por Shishkin apenas. Hoje ele está na galeria Tretyakov, em Moscou. Vários outros fizeram obras menos conhecidas, mas de igual beleza. Na música, mais uma vez cito Tchaikovsky. Ele criou um ciclo de peças chamado "As estações do ano" com doze peças, cada uma dedicada a um mês do ano e as de junho, julho e agosto são as dedicadas ao verão, sendo a mais conhecida a de julho, chamada de "Canção do ceifador/segador" (Песня косаря). Na música pop também há canções sobre o verão, como a da cantora Tchitcherina (Чичерина) chamada Jara (Жара) e outras.

É isso amigos. A Rússia é conhecida por ser um país frio, mas quando esquenta, é pra valer mesmo. Se quiserem saber algo mais sobre o verão, é só perguntar. Até a próxima!



Ler mais »