terça-feira, 30 de junho de 2015

Yurga: um lugar do qual você não vai ouvir falar muito

Olá amigos! Tive alguns problemas com meu visto, então tive que interromper minhas férias em Moscou e voar para Tomsk. Nessa correria toda, acabei conhecendo mais uma pequena cidade siberiana da qual vou falar agora, que se chama Yurga.

Placa de boas-vindas a Yurga
Yurga (Юрга) é uma pequena cidade à noroeste da Kemerovskaya oblast, cuja capital, Kemerovo, eu já visitei (leia sobre ela aqui). Ela tem mais ou menos uns 80 mil habitantes (como a maioria das cidades, vem perdendo habitantes nos últimos anos) e foi fundada oficialmente em 1886, ganhando o status de cidade em 1949. Para falar a verdade, como a maioria das cidades pequenas da Sibéria, não há muito para se ver por lá, por isso disse que provavelmente você não vai ouvir falar muito dela por aí. Alguns monumentos interessantes, igrejas bonitas, uma estação de trem da Transiberiana, uma colônia prisional masculina e uma feminina, onde os presos trabalham duro, uma fábrica de veículos pesados, como caminhões, tratores, tanques etc e... bom, acho que é isso. A cidade em si não é riuim. É bem calma, com avenidas bem largas. Vou falar um pouco sobre eles. As fotos são péssimas porque foram feitas com meu celular (esqueci a câmera), que tem uma câmera bem ruinzinha. Mas creio que voltarei lá em breve, então tirarei fotos melhores. Não quis colocar fotos de internet porque quero usá-las o mínimo possível para lugares que visito.
O monumento das três baionetas
No geral, os monumentos de Yurga estão bem deteriorados. Eles foram inaugurado já há algum tempo (alguns há mais de 20 anos), mas, exceto o Memorial, os outros ficaram um pouco abandonados. Então, se passar por lá, cuidado com escadas e coisas assim, os degraus estão bem mal conservados. Mas, falando de cada um em particular, primeiramente visitei um monumento à Segunda Guerra Mundial (como outros que estão pela cidade) que têm três baionetas juntas, apontando para o céu. Ele é bem interessante, mas, depois de uns 5 minutos, já não há nada mais a fazer por lá. Então, fui ao Memorial às vítimas da Segunda Grande Guerra. Esse sim está em melhores condições de conservação. Ele é muito grande e tem duas grandes correntes com duas espécies de sinos, mas sem badalos, na entrada. No outono e inverno, quando há muito vento, eles batem um no outro e fazem um barulho que se ouve bem longe. Lá está o fogo eterno em homenagem aos mortos na guerra e os nomes de todos que faleceram naqueles tempos. Há também um tanque à direita do memorial. Existe também um outro monumento à vitória na Segunda Guerra Mundial, mas não o fotografei e ele também está bastante deteriorado (é o que está em pior estado).

Estação, trem e ferrovia vistos do alto de uma passarela
Saindo desses monumentos, visitei o teatro da cidade, que é bem legal e bonito. Achei até mais bonito que o de Tomsk. Esse teatro de Yurga é certamente inspirado nos prédios da Grécia antiga (como muitos na União Soviética).

Além dele, há duas igrejas bem grandes. Uma vermelha, construída após os tempos soviéticos e uma outra branca, ainda maior, mas que está um pouco zuada por fora, por conta da ação do tempo.

As prisões que mencionei no começo não são exatamente atrações, mas são algo diferente na cidade. Elas têm grandes muros brancos, várias torres de vigia, cercas de arame farpado etc. Não dá para ver nada da rua, mas sabe-se que os presos fazem trabalhos manuais pesados lá e as detentas, se não me engano, produzem peças de metal para ferrovias. Elas não ficam tão longe uma da outra, mas também não estão tão perto. Na verdade a cidade não é grande, então, tudo é perto.

Memorial as vítimas da Segunda Guerra com os sinos
A fábrica de veículos pesados fica entre as duas prisões e grande, mas metade dela está desativada, já que não se produz tanto quanto nos tempos soviéticos. Em frente a estação de trem da cidade tem interligação com a Transiberiana, mas também é usada para transporte de cargas. A estação é toda aberta e até dá para embarcar de graça, mas logo aparecerão os fiscais da companhia de trens pedindo seu bilhete de embarque. Ao lado do prédio da estação está uma locomotiva fabricada na cidade.

É isso amigos. Voltarei lá para tirar fotos melhores. E se quiserem saber algo, é só perguntar, ok? Até a próxima!



6 comentários:

  1. "A fábrica de veículos pesados fica entre as duas prisões e grande, mas metade dela está desativada, já que não se produz tanto quanto nos tempos soviéticos." - puxa, Luciano, eu imaginei que o Putin estava fazendo a Rússia como nos tempos soviéticos. Como está a economia aí? e essa crise em função das sanções e do preço do petróleo?

    Abraços,

    Christian

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Christian!

      Bom, na verdade acho que as pessoas confundem um pouco o governo dele. O partido dele é de direita mesmo, conservador. Mas, por ter uma tendência nacionalista e populista, muita gente acaba achando que ele é um comunista tentando trazer a URSS de volta. Na verdade é tudo ao contrário, ele vai aos poucos se afastando do histórico soviético.

      A economia vai mal. Estão mais ou menos como no Brasil, mas o presidente governa com mais calma que a presidente brasileira. Muitas vezes aparecem países que querem dar uma força para Rússia sair da crise. Irã, Cazaquistão, Sérvia, Bulgária e principalmente a China jpa disseram que querem colaborar com a Rùssia. Então, a perspectiva aqui é melhor do que vejo de como estão no Brasil, mas no momento não estão boas não.

      Grande abraço pra você e muito obrigado pelo comentário!

      Excluir
  2. Privet, Luciano!

    Ao que tudo indica, TODAS as cidades da Russia tem memoriais, porque integrantes de todas elas foram vítimas da Segunda Guerra.
    Mas, fiquei um pouco decepcionado por você mencionar no artigo que os monumentos estão em um estado de conservação aquém do desejado. Pensei que fosse apenas no Brasil que não se desse muita importância ao passado.
    Também mencionou que há uma prisão. E que há detentas! Sinceramente, não consigo imaginar as delicadas e femininas mulheres russas como criminosas...
    E, por falar nisso; A população carcerária na Russia é muito grande? E a criminalidade, é menor que a nossa aqui no Brasil?
    Bem, novamente as inevitáveis perguntas, já que você se tornou a minha "enciclopédia" no verbete Russia! rsrsrs

    Grande abraço, de uma chuvosa e gelada Curitiba!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kléber, meu amigo.

      Não posso te afirmar que todas as cidades têm memoriais, mas, se houver alguma que não tem... eu ficaria muito surpreso de saber disso. Todo mundo teve algum familiar que caiu na guerra, por isso todas as cidade têm que ter memoriais. E sempre eles têm muitos nomes escritos, para que ninguém seja esquecido.

      Sim, infelizmente os monumentos de Yurga estão muito mal das pernas. Um monumento lá, também sobre a Segunda Guerra, mostra várias pessoas juntas, indo para o campo de batalha. Mas algumas dessas pessoas estão sem as cabeças, com buracos, as escadaria de acesso a ele está com os degraus bem destruídos e tudo mais. Tudo numa condição muito triste. Vi alguns em São Paulo que não estavam bons também, mas o estado desse monumento me chamou a atenção por tamanha deterioração.

      Hehe, eu entendo. Mas sabe, desde que vim pra cá, aprendi (e vi) que algumas mulheres aqui podem ser bem brutais. Uma vez, num dos meus primeiros dias por aqui, estava indo sozinho para a universidade e bastante distraído, sem prestar muita atenção no que me rodeava. De repente tomei uma pancada violenta no ombro que até girei e quase caí. Quando olhei pra ver o que houve, foi uma mulher baixinha, magra, loira, de rosto angelical que me deu essa trombada. Nem sei se fiquei mais impressionado com a pancada ou com quem fez isso. E ela ainda olhou feio para mim, de ter até me xingado. Lembrando disso agora dou risada, mas naquele dia fiquei com muita raiva. :)

      Sim, a população carcerária russa é bem grande. Mas ela diminuiu bastante nos últimos anos. O governo vem praticando uma política de desencarceramento (com qualidade). Na década de 90 era muito maior do que hoje. Atualmente é a terceira maior população carcerária do mundo, se não me engano. Até vi que o Brasil estava para passar a Rússia nesse ponto.

      Imagine, suas perguntas sempre são bem-vinda. Muito obrigado por elas e por estar sempre por aqui.

      Grande abraço da escaldante Tomsk, onde tivemos 36, 38 graus todos os dias nessa semana. :)

      Excluir
    2. Não me agradeça, parceiro!

      Conteúdo de qualidade é a chave!

      P.S - Já fez o arroz de carreteiro para a Natalia? kkkkkkkkkkkkk!!!

      Poka!

      Excluir
    3. Hehe, não, ainda não. Preciso ainda aprender como fazer, :)

      Poka!

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.