domingo, 29 de novembro de 2015

Aniversário de uma letra? Sim, na Rússia tem!

Olá senhoras e senhores. Desculpe o longo período de inatividade. Agora que vai chegando fim do semestre letivo, as coisas ficam ainda mais apertadas. Mas achei um tempinho para escrever sobre algo curioso da Rússia: a letra Ë e seu aniversário.

Feliz aniversário letra Ë!
Mas como assim, aniversário de uma letra? Isso mesmo. A letra Ë é a sétima letra do alfabetos cirílicos russo e bielorrusso e tem o som equivalente a "yo". Nas línguas eslavas antigas esse som não existia. Ele apareceu apenas mais tarde, mais ou menos entre os séculos XII e XVI. O som que existia antes era algo como "é", mas não é possível saber como o som "é" evoluiu para "yo" ao longo dos anos.

Como o som começou a se tornar frequente na língua falada, apareceu a necessidade de ele ser representado graficamente. Então, no começo foi adotada a forma "IO", com um circunflexo sobre as duas letras "I" e "O" latinas. Mas essa escrita não era uniforme, o que tornava a compreensão de alguns textos bastante difícil. Alguns escreviam "ÍO", outros "IO", ao passo que também existia a escrita de "ÏO" e ainda era possível encontrar "ÎO". Uma grande confusão, como você pode perceber.

Ekaterina Dashkova
No dia 29 de novembro de 1783 houve uma das primeiras reuniões da Academia de Ciências da Rússia. Estavam lá presentes vários escritores, linguistas e outros culturólogos da época. Ao final da reunião, a diretora da Academia, Ekaterina Dashkova (Екатерина Дашкова), perguntou aos presentes como eles escreveriam a palavra "yolka" (ёлка), que é uma espécie de árvore típica do norte do planeta, muito parecida com o pinheiro. Ela a escreveu como "iолка", que era uma das formas possíveis à época, e perguntou se era lógico usar duas letras para apenas um som. Então, ela ofereceu como alternativa usar a letra "Ë" para o som e a maioria dos presentes concordou e apoiou a ideia. Eles começaram a usar em seus manuscritos e, em 1795, apareceram os primeiros livros grafados com "Ë". A primeira palavra publicada que se tem registro com a letra foi "vsyo" (всё), que significa "tudo". O primeiro sobrenome foi o de um aristocrata daqueles tempos chamado Potyomkin (Потёмкин).

Página inicial do Google em 29/11/15. Todas palavras com Ë
Mas ela não entrou no alfabeto tão rápido. A letra sofria um certo preconceito por parte das pessoas, que consideravam a pronúncia como "é", como se fazia na igreja, mais culta e correta. Em 1942 a letra passou a ser ensinada na escola. A partir daí ela começou a ser considerada oficialmente parte do alfabeto, mas seu uso sempre foi facultativo. Há uma lenda de que o ë entrou para o alfabeto porque Stálin não gostava de ver palavras com "ё" escritas como "e". Ele fez com que tudo fosse grafado com a letra, de livros a documentos oficiais. Nos dias de hoje a letra não é muito utilizada nos meios de comunicação escrita. Desde sempre, ela foi opção. Mas, para mim, parece que há uma tendência do desuso da letra. Os sobrenomes de dois líderes soviéticos, Khruschev (Хрущёв) e Gorbachev (Горбачёв) são transcritos para o alfabeto latino com "E" mas pronunciados com "Ë". Provavelmente a melhor maneira de transcrevê-los para o alfabeto latino seria Khruschov e Gorbatchov, mas não foi assim que aconteceu (na minha opinião, por causa dessa tendência em não utilizar o Ë).

Monumento à letra Ë em Ulyanovsk. Ao fundo, yolka (ёлка)!
Os russos, que já sabem onde tem "e" e onde tem "ё" naturalmente, não escrevem por considerar mais fácil escrever "E" que "Ë" (como se fosse um grande esforço colocar dois pontinhos sobre a letra E). Entretanto, alguns russos  escrevem desde sempre o "Ë" por considerar essa a forma mais correta e preservar a língua como ela deve ser. Em livros para crianças e para estrangeiros, a letra é usada, mas muitas vezes em outros meios de comunicação, a letra não é escrita. Isso faz a minha vida (e a de outros que não sabem bem russo) bem difícil, porque sou corrigido muitas vezes por ler "Ë" como "E".

Pra terminar, duas curiosidades sobre a letra. Primeira: existe um monumento à letra "Ё" na cidade de Ulyanovsk, as margens do rio Volga. Segunda: o ë sempre transforma a sílaba onde está em sílaba tônica (e essa é uma das únicas regras de sílaba tônica em russo, então, ela é muito bem-vinda).

Por ora é isso senhoras e senhores. Mais uma vez peço desculpaspela demora em escrever. Se quiser falar sobre algo a respeito da letra, é só comentar aqui abaixo. Se quiser perguntar sobre o que fazer para se mudar para a Rússia, não responderei (existem postagens dedicadas a isso). Até a próxima!
Ler mais »

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O parque e museu Tsaritsino em Moscou

Olá amigos! Visitamos um lugar impressionante em Moscou e te conto quase tudo que vi por lá (seria impossível escrever tudo). O parque e museu Tsaritsino.

Imponente portão de entrada do complexo de prédios do palácio
O parque e museu Tsaritsino eram uma grande residência da imperatriz Catarina II, a Grande. Nos tempos da monarca ele ficava fora de Moscou, mas depois de alguns anos, a cidade se expandiu e incorporou o lugar ao território da cidade. Você chega lá facilmente de metrô, indo pela linha verde e descendo na própria estação Tsaritsino (Царицино). É só sair da estação, virar à direita e seguir por uns 100 metros e logo você está no parque.

Tudo lá é em proporções gigantescas. A entrada, o lago, o caminho até o palácio, a padaria, a sala de concertos... todas construções colossais. Aproveitamos que no terceiro domingo de todo mês a visitação ao grande palácio é gratuita (nos outros dias o ingresso pode chegar até 700 rublos, caso você queira ver tudo) e fomos. O parque não conseguimos visitar porque ele estava fechado no dia, já que havia um festival de jazz. Só não entendi porque fecharam quase todo o parque, se o palco ocupava só uma pequena parte em um canto, mas enfim.
Ler mais »