sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Viajando de trem pela Rússia

Olá senhoras e senhores. A Rússia é muito conhecida por suas ferrovias, que cortam o país de norte a sul, de leste a oeste. Mas, como é viajar nesses trens? Viajei entre as duas maiores cidades russas e te conto como é essa experiência.

Trem de dois andares. Algo que ainda não tinha visto
No fim de agosto, para encerrar bem as férias de verão e começar o ano letivo com tudo, minha esposa e eu queríamos viajar a São Petersburgo. Compramos a passagem e estávamos indo para o aeroporto, mas pegamos um trânsito terrível no caminho para o aeroporto de Domodedovo e acabou que perdemos o voo. Chegamos só 7 minutos atrasados... mas foi um atraso. O que fazer então? O primeiro passo foi procurar se havia passagens em outras companhias para poder ir naquele mesmo dia por outra empresa. Nenhuma tinha assentos disponíveis. Não queríamos voltar para casa e procurar por voos em outro dia. Já havíamos saído de casa para viajar, então, tínhamos de fazê-lo. Decidimos então que iríamos de trem. Fomos até a estação do aeroporto e pegamos a elektrichka para Moscou. Chegando lá, nos dirigimos à estação Leningradsky Vokzal (Ленинградский вокзал), de onde saem os trens para SPb, compramos as passagens, aguardamos duas horas e embarcamos para oito horas de viagem. De avião ela duraria mais ou menos uma hora e 10 minutos (ou menos, dependendo do piloto).
Exemplo de viagem no platskart
Existem várias opções para se viajar de trem pela Rússia. Das mais baratas e menos confortáveis às mais caras e requintadas, todas no mesmo trem, mas em vagões diferentes. Em comum elas têm o fato de serem diferentes dos trens como conhecemos e serem adaptados para longas distâncias. Quando você compra uma passagem, você não compra "uma cadeira para sentar" apenas. Você compra um lugar em uma pequena cabine que conta com sofás que viram cama. Entre eles há uma mesa. Acima deles há duas (ou três) camas. É sempre melhor viajar na parte de baixo, já que pode não ser muito fácil subir, além da cama de baixo parecer mais confortável. Dependendo de quanto você paga, você pode ter camas mais confortáveis, portas que fecham durante a noite, viajar sozinho ou com no máximo uma pessoa em uma cabine etc. 

Interior da nossa cabine de manhã
As passagens mais baratas são dos "platskart" (плацкарт). Elas te dão o direito de viajar em uma cabine sem portas e, em vez de 4, elas têm 6 camas, assim dispostas: duas nas paredes laterais e uma abaixo da janela, formando uma espécie de U dentro da cabine, tanto em cima como embaixo. As camas são menores e você fica muito mais perto de outras pessoas, estando sujeito a seus ruídos e odores de maneira mais táctil, eu diria. Eu só te recomendo comprar passagem nessa categoria se você não vai viajar por muito tempo durante o dia (mais que seis horas, por exemplo) ou tem bem pouco dinheiro e quer ir de qualquer jeito e não pode esperar mais. As passagens de platskart entre Moscou e São Petersburgo custam entre 1200 e 2000 rublos, dependendo da hora e da época do ano.

Se puder gastar um pouco mais, vale muito mais a pena comprar o próximo "nível". Ele se chama cupê (купе) e vale bem seu preço. Quando você viaja de cupê, a mesinha tem diversas coisas, como chicletes, balas, máscaras para dormir, colocador de sapatos, escova e pasta de dentes e outras coisas. Além disso você ganha um chá grátis e, de manhã, eles te dão um sanduíche. No platskart você não ganha nada disso. Foi nessa classe que viajamos a São Petersburgo e, apesar de ter mais duas pessoas na cabine, a viagem foi super tranquila e chegamos numa boa ao nosso destino. Nem parecia que viajamos 8 horas de trem noite afora. As passagens de cupê custam entre 2700 e 4000 rublos, assim como o platskart, depende da hora e da época da viagem.

Cabine luxo. É quase um quarto de hotel para você
Há também duas classes mais altas. Uma delas é chamada SV (СВ) e tem os mesmos elementos do cupê, mas você vai sozinho ou, com no máximo, uma pessoa mais na cabine. Uma passagem de SV nesse trecho que viajamos custa entre 5500 e 6500 rublos. E há também a primeira classe, a mais alta (e cara) de todas, chamada luxo (люкс). Ela é como um quarto de hotel e você viaja com uma cama, tem um bar... quase que um vagão inteiro só para você. Ela é bem mais cara, quase o preço de uma primeira classe de avião (para lugares que tem voos, claro). Estamos falando de algo entre 9000 rublos e que pode chegar até 17000, o que, no câmbio do final de 2015 era algo como 1000 reais. Imagino que no luxo você ganhe ainda mais coisas. Há um vagão restaurante onde todos podem ir comer algo. É como um bonito restaurante, em estilo clássico. Dependendo da hora que você vai, o trem tem um vagão restaurante mais luxuoso ou mais simples. Mas são sempre bem decentes, até os mais baratos.

restroom train russia moscow saint petersburg
Banheiro parecido com o que viajamos
Um detalhe interessante é o dos banheiros. Eles são programados para usar o mínimo possível de água e papel sem ser desconfortável. O vaso sanitário, por exemplo, não tem água parada. Quando você termina de usa-lo, você pisa em um pequeno pedal que fica embaixo dele e ele abre uma portinha que leva todos os dejetos embora (inclusive o papel higiênico que você usou e deve jogar no próprio vaso) e dá uma ducha no lado interno do vaso. Para lavar as mãos, você tem sabonete e uma torneira que solta uma determinada quantidade de água (que não é tão pouquinho). Os recepientes de papel estão bem camuflados nas paredes, mas são fáceis de encontrar. E o banheiro não cheira mal. Atrás do vaso há um circulador de ar que mantém o ambiente com um odor normal. Há muitos avisos para não pôr os pés no vaso e coisas assim. Os russos (como os brasileiros) também fazem isso de subir no vaso para o usar, em vez de sentar nele.

Por enquanto é isso senhoras e senhores. Se estiver na Rússia e puder, viaje de trem. É uma experiência muito boa. Nós que estavamos com raiva por perder nosso voo, no final ficamos muito contentes com a nossa viagem. Se quiser pergutnar algo sobre como é viajar de trem, é só comentar aqui embaixo. Se quiser saber o que você tem que fazer para se mudar e trabalhar na Rússia, não responderei (há posts sobre isso. É isso aí pessoal, até a próxima!

11 comentários:

  1. Privet, Luciano!

    Fascinante. Desde que foram inventadas na Inglaterra do século XIX, as ferrovias revolucionaram o mundo. Tal era a sua importância que ela chegava antes mesmo das cidades, em especial nos EUA. Li em algum lugar que as "urbes" se desenvolviam a partir das estações ferroviárias. E assim grande cidades se formaram, em especial no meio-oeste. Gosto muito de ferrovias. E esta paixão começou na infância, brincando de ferrorama(lembra?). Na minha humilde concepção, um dos grandes erros dos governantes brasileiros nos últimos 120 anos foi não investir maciçamente em ferrovias num país de dimensões continentais como o Brasil. Mas, esta é outra história.

    Bom, "mano", as perguntas(parodiando Ben Franklin, daqui a pouco você vai dizer que as únicas coisas inevitáveis nesta vida são a morte, os impostos e as perguntas do Kleber...kkkkkk):

    1 - Qual a bitola das ferrovias utilizada na Rússia?
    2 - Qual é o padrão de força motriz das locomotivas atuais? A Diesel, elétricas ou híbridas(diesel-elétrica)?
    3 - Quantos vagões em média formam uma composição de passageiros? E qual a ordem em que são colocadas a primeira classe(CB), segunda classe(купе) e a terceira classe(platskart)?
    4 - Qual é, em média, o custo de uma viagem completa pela famosa Transiberiana?
    5 - Exitem ferrovias de alta velocidade como, por exemplo a maglev?
    6 - É uma companhia estatal que opera as ferrovias russas, ou pertence a companhias da iniciativa privada?
    7 - Qual o estado geral de toda a infraestrutura ferroviária russa?
    8 - Todas as locomotivas são de fabricação russa ou existem unidades motrizes de outros países e fabricantes?

    Bom, chega! Misericórdia, desta vez eu extrapolei(acho que deveria ter feito estas perguntas no post de abril, lembra?)!

    Grande abraço, мой брат!
    И много, много спасибо!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Privet Kleber!

      Eu também gosto muito de ferroviais. Viajar nelas então, é ainda melhor. Uma pena que no Brasil as ferrovias de longa distância não tenham espaço. A Volkswagen já vem fazendo estragos há muitos anos...

      Bom, vamos ver o que posso fazer com a suas perguntas.

      1 - A bitola russa é de, atualmente, 1520 mm. Nos tempos do Império Russo ela era de 1524 mm, mas, a partir da década de 70 começou a ser adotada gradualmente a bitola atual. Não só na Rússia, mas em muitos países vizinhos, como Mongólia, Moldóva, Países Bálticos, Afeganistão etc.
      2 - Não tenho certeza, mas creio que os trens são híbridos. Ao menos as elektrichka, que viajam dentro das cidades e distâncias mais curtas, certamente são. As que vão para mais longe nem sempre são eletrificadas.
      3 - Só uma correção: a primeira classe é a luxo (люкс). Talvez eu não tenha explicado bem. Desculpe por isso. E não consegui encontrar essa informação em nenhum lugar. Viajamos no vagão 13, mas tinha muitos mais para frente ainda. Nem sei dizer quantos são, mas são muitos. E como estão organizados também...
      4 - Bom, viajando de cupê você paga mais ou menos 15 ou 16000 rublos. De platskart você paga por volta de 10000 (um pouco mais, um pouco menos).
      5 - Bom, existe os Sapsan, que são os trens de alta velocidade. Falei deles rapidamente, mas pretendo viajar neles logo e contar como é.
      6 - Quem administra as ferrovias é a RJD (РЖД), que é uma companhia estatal. Estava para ser privatizada há algum tempo, mas acabou não rolando. O site deles é esse aqui (tem versão em inglês também: http://rzd.ru/
      7 - No geral, as ferrovias estão bem conservadas. Bem melhor que as estradas eu diria.
      8 - Sim, todas são fabricadas na Rússia. Acho difícil os russos comprarem trens de alguém.

      Acho que é isso. Desculpe pelas respostas que não pude dar, sigo buscando.

      Grande abraço da fria (mas esse ano não tão fria quanto no ano anterior) Tomsk,

      Спасибо большое!! До встречи!!

      Excluir
    2. Olá, meu velho.

      Acho que foi eu que não entendi bem. E peço perdão por tantas perguntas. Vou entrar no site da RJD mais tarde e dar uma olhada.

      Abraço e bom fim de semana para vocês!

      Excluir
  2. Apesar das platskart serem menos confortáveis me parecem ainda melhores do que outras 3ªs classes que existem em outros países ao redor do mundo. Esse valor médio de 15000 ou 16000 rublos em uma viagem na classe cupê na Transiberiana é também o valor médio na rota Trans mongoliana e na Transmanchuriana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O platskart não é terceira, mas sim quarta classe. Cupê a terceira, SV a segunda e luxo a primeira. E não consegui encontrar preços para passagens desses dois ramais. Eles não são vendidos eletrônicamente. Tem que ir ao guichê lá em Moscou e perguntar quanto custa.

      Excluir
  3. Muito interessante o post, obrigado pelas informações.

    ResponderExcluir
  4. Oi Luciano! Vou pra Rússia em maio e estou adorando suas dicas! Será que você me dá uma luz? Eu chego em Moscou, passo poucos dias, vou pra São Petersburgo de trem e volto pra Moscou de trem tb para passar mais alguns dias. Pelo que li, só dá pra comprar as passagens de trem pela internet a partir de 45 dias antes da viagem. Meu receio é reservar os hotéis com bastante antecedência, com as datas certinhas conforme roteiro acima e no final não conseguir comprar as passagens de trem pros dias que eu programei...você acha arriscado? Ou é tranquilo conseguir essas passagens? Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Olá Estripulia! Obrigado por acompanhar o blog.

      Bom, sim, não dá para comprar as passagens de trem muito antes. Depende de quando você vem para a Rússia, mas, mesmo nos meses de verão, que são os mais cheios, eu acredito que não terá grandes problemas para comprar as passagens não. Claro que cada dia é um dia, mas eu acho difícil que você não consiga viajar no dia que você quer. Quando viajamos para Petersburgo, compramos a passagem ali na hora mesmo e nossa cabine foi cheia, mas havia outras vazias. Portanto, acredito que você não terá grandes problemas não.

      Espero que curta a sua viagem pela Rússia. Você vai gostar daqui.

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.