sábado, 26 de dezembro de 2015

Vyborg, uma cidade russa com alma finlandesa

Olá amigos. Quando estive em São Petersburgo aproveitei para visitar uma cidade que fica próximo chamada Vyborg (Выборг). Olha só o que você acha lá.

Distância entre São Petersburgo (amarelo) e Vyborg (branco)
Se você é mais afeiçoado à cultura russa, provavelmente vai dizer "esse nome não parece muito russo". E realmente a cidade não era russa. A história é longa e complicada. Vyborg era parte da Suécia. Aliás, da Finlândia, que antes era controlada pelos suecos. Somente em 1710, com a vitória na Grande Guerra do Norte, a Rússia impôs sua soberania no local (e em toda a região). Em 1809 o "resto" da Finlândia foi cedido ao Império Russo pela Suécia. Então, a cidade passou para o recém criado Grão-Ducado da Finlândia. Nesse período a cidade ficou bastante internacional, com cerca de metade da população finlandesa, 30% de alemães e suecos e 20% de russos, além de minorias de carélios (povo do noroeste da Rússia e oeste da Finlândia). Com a revolução socialista de 1917, a Finlândia aproveitou o caos no país para se declarar independente e levar Vyborg consigo. Nesse período ela foi rebatizada para Viipuri.

Vista parcial de Vyborg
Em 1940, com a Guerra de Inverno entre URSS e Finlândia, a cidade e a região até o istmo da Carélia passaram para o controle soviético, como parte do acordo de paz. Mas, no ano seguinte a Finlândia invadiu a cidade e tomou tudo de volta, desrespeitando o tratado de paz e as coisas ficaram assim até 1944. Houve uma nova guerra e os soviéticos venceram. Em 1947 foi assinado um tratado de paz definitivo em Paris, no qual a Finlândia desistia de vez de qualquer futura reivindicação na região. Desde então, a cidade voltou a ter seu nome original de Vyborg e é totalmente russa agora. Em um ponto no centro da cidade, indo para o setor mais antigo, há um memorial a todos os finlandeses que morreram defedendo a região. Há algumas lápides com os nomes deles em finlandês e em russo, e uma grande placa falando sobre os acontecimentos daqueles tempos difíceis, também bíligue..

A Praça Vermelha de Vyborg. Lá ao fundo, Vladimir Lenin.
Vyborg está localizada 130 km ao noroeste de São Petersburgo e a 38 da fronteira finlandesa. Apesar de todos os atritos passados, hoje russos e finlandeses trabalham juntos e utilizam o porto de Vyborg, que leva ao Golfo da Finlândia. Mesmo sendo uma cidade russa, ela tem um quê diferente. Muitas casas antigas foram conservadas ou estão sendo reformadas. Quando você vai de trem de São Petersburgo para Vyborg, você vê algumas estações com nomes bem finlandeses, como Kannelyarvi e Leipäsuo. A viagem dura mais ou menos umas duas horas e meia.  Quando cheguei na cidade, ainda dentro da estação, uns caras fardados me pararam e pediram pra ver meu passaporte. Perguntaram se eu falava russo e eu disse que não. Nesse momento eu estava sozinho, porque minha esposa e nossa amiga tinham ido ver como chegar a outros lugares. Quando me viram cercado por gente fardada já vieram rápido ver o que acontecia. Na verdade eles nem eram policiais nem nada. Um deles tinha uma credencial qualquer, que nem dava pra saber exatamente o que ele era. Ainda bem que elas estavam por perto. Possivelmente iriam pedir grana ou algo assim (acontecia muito antes na Rússia de pessoas se vestirem de policiais e arrancarem dinheiro dos outros). Resolvido o impasse, fomos dar uma volta pela cidade.


Dá para se sentir em alguma cidade escandinava por aqui
Vyborg não é uma cidade grande. Muito pelo contrário. Ela parece uma pequena cidade do interior (o que de fato é) com seus cerca de 79 900 habitantes. Como mencionei acima, há uma parte soviética, que é mais moderna e padronizada, nas cercanias da ferrovia. O outro lado da cidade, que é mais antigo, tem um ar finlandês, criando uma paisagem única dentro da Rússia. Em alguns lugares você pode ver  a palavra Viipuri escrita, mas parece que quase ninguém chama a cidade assim. Um detalhe interessante é que vi alguns carros com placa finlandesa pela cidade. Bom, ela fica realmente muito perto da fronteira. 

Dando uma volta pelo centro da cidade chegamos à Praça Vermelha, onde está a estátua de Lênin. Sim, a praça central da cidade tem o mesmo nome da famosa Praça Vermelha de Moscou. Mas, fora o nome e o calçamento de paralelepípedos, as duas praças não tem muito mais em comum, como você pode ver acima. 

O alce que salvo os exploradores
Logo ao lado da praça fica um parque que dentro tem uma grande e moderna biblioteca. Apenas entrei para usar o banheiro e que vi acontecia uma espécie de conferência lá, então, a entrada era algo restrita naquele dia. Ao lado da biblioteca há uma grande estátua de um alce. Ele está lá porque por volta dos anos 30, reza a lenda, alguns homens da cidade, ao sair para explorar as florestas da região acabaram se perdendo. Foram caminhando, tentando encontrar o caminho de volta até que, de repente, viram-se cercados por um grande número de lobos. Quando estavam para ser devorados, não se sabe de onde, apareceu um alce e começou a atacar os lobos. Como eram muitos, o alce foi obrigado a fugir floresta adentro e foi perseguido pela alcatéia, o que deu a oportunidade dos exploradores fugirem e encontrem seu caminho de volta à cidade. Em homenagem ao animal que os salvou, erigiram-lhe o monumento. Se você não passar por dentro do parque que leva à biblioteca, verá uma pequena calçada da fama, com o nome de alguns atores reconhecidamente talentosos dos tempos soviéticos como Evgeny Leonov (Евгений Леонов) e Liudmila Gurtchenko (Людмила Гурченко). Lá está inclusive a estrela de Gerrard Depardieu, que recentemente "virou" russo.

Estátua do fundador de Vyborg com um belo prédio ao fundo
Caminhando pelas ruas da cidade, chegamos ao lado finlandês, que fica perto do porto. Ele é bem bonito e está em reformas para ficar ainda melhor. As ruas são de paralelepípedo e têm belos exemplos de casarões antigos. Há também uma estátua ao fundador da cidade, que ninguém sabe ao certo o nome. Ele é conhecido como Torkel Knutsson, mas na estátua seu nome está grafado como Tygils Knutsson. também é possível encontrar Torgils. Seu nome está na base da estátua ao lado e está escrito  no alfabeto rúnico, antigamente usado pelos povos escandinavos. Do lado esquerdo da foto, em frente a esse prédio amarelo, tem uma pequena loja que vende um doce muito tradicional da Rússia e que é muito bom, chamado krendel (крендель) e que, infelizmente, ninguém sabe ao certo a receita dele. As últimas boas famílias que detinham a receita original morreram com ela e não a compartilharam. O que temos hoje é uma suposição do que ele era. O nome finlandês desse doce (que tem o formato parecido com os famosos Pretzels) é viipurinrinkeli. Então talvez não seja uma coincidência o nome finlandês da cidade.

Por ora é isso amigos. A cidade tem algumas outras atrações, como o porto e o castelo que deu origem a cidade, mas falarei dele em outra postagem. Vyborg é uma cidade que vale a sua visita quando estiver na região de São Petersburgo. Se quiser saber algo mais sobre Vyborg, é só comentar aqui embaixo. Se quiser pedir ajuda para arranjar um trabalho na Rússia, não responderei (há posts falando sobre essas coisas). Até a próxima!

2 comentários:

  1. Salve,salve, meu irmão Luciano!

    Excelente artigo. Muito bem redigido e instrutivo. Eis aí mais uma cidade para incluir num excelente roteiro turístico.
    Sabe, li bastante sobre a guerra de inverno entre a URSS e a Finlândia e um soldado daquela guerra chamado Simo Häyä, alcunhado de "morte branca". Ele foi o Vasili Zaitzev finlandês.
    Bom, sem perguntas desta vez. Todas foram respondidas ao longo do artigo.

    Poka!

    ResponderExcluir
  2. Olá meu caro Kleber!

    Muito obrigado pelas palavras. Sim, definitivamente Vyborg vale uma visita quando se está por aqueles lados. Nós não esperávamos muito, mas a cidade nos surpreendeu. E ainda falarei mais sobre ela no futuro.
    Ah sim, conheço ema história desse atirador finlandês. Os russos também se lembram muito bem dele. Tanto que não é muito bom lembrar dele por aqui. Acho que é perfeitamente compreensível porque.

    Um grande abraço para vocês!

    ResponderExcluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.