terça-feira, 17 de maio de 2016

Casarão dos boiardos Romanov em Moscou

Olá amigos. Vou falar sobre um lugar em Moscou, perto da Praça Vermelha, um casarão grande, mas que fica escondido. Esse casarão foi a residência da família de boiardos Romanov. Conseguimos encontrá-la e conto para você o que ela tem.

Mesa preparada para o jantar dos Romanov
Algumas perguntas que podem ter aparecido lendo o parágrafo acima. Primeira: como um casarão pode ficar escondido? Bom, sim. A casa fica abaixo do nível da rua e não dá para vê-la de lá. Você tem que descer alguns lances de escada e andar por dentro de um pequeno bulevar que tem uma igreja e algumas lojas. Esses lugares te confundem e te fazem pensar que você está no lugar errado. Na verdade só encontramos o museu porque eu queria muito usar o banheiro e encontramos um lugar que parecia um guichê (depois de procurar muito e já quase desistir de encontrar o tal casarão). Então, quando vimos o guichê, fomos perguntar se poderíamos entrar só para eu usar o banheiro quando de repente percebemos que era a bilheteria do museu. Males que vêm para bem. Segunda: o que são boiardos? Boiardos eram as famílias nobres mais importantes do Império Russo. Nos tempos da dinastia Ryurikevich eles eram muito mais influentes sobre o mandatário do país. A dinastia que a sucedeu após um período confuso e de ausência de uma família dinástica foi a Romanov, que era uma família de boiardos. Então, nesse casarão viviam os parentes do czar/imperador. O casarão fica bem perto da Praça Vermelha e do kremlin de Moscou. Ou seja, quando o imperador queria fazer uma visita aos parentes ou vice versa, era só dar uns passos e já estavam em família.

Petchka, a antiga mistura de forno e aquecedor 
Segundo pude ver no ingresso, ele faz parte de um circuito histórico de museus que inclui o Museu Histórico Estatal e a Basílica de São Basílio, ambos na Praça Vermelha e que já tive a oportunidade de visitar. Não sei se há uma ordem especifica para visitá-los, mas não acho que isso comprometa o seu passeio de alguma forma. As instalações são independentes uma da outra e imagino que eles estejam agrupados por mostrar as diversas fases da evolução da Rússia como país e dos setores mais altos da sociedade.

Agora falemos especificamente sobre o museu que está lá instalado. A porta de entrada dá para um corredor. Seguindo para a direita você tem seus ingressos verificados e pode deixar seus casacos, mochilas ou qualquer outra coisa que estiver carregando. Lá também te darão algo que só vi aqui até agora: saquinhos plásticos com um elástico na abertura. Você enfia seu pé com sapato e tudo neles. Isso serve para você não sujar o piso, principalmente no inverno e primavera, quando as ruas podem estar bem sujas. Feito todo esse rito você volta pelo mesmo corredor que veio, passa pela porta de entrada e segue, virará à direita e depois à esquerda, onde há uma escada que serve para você subir para o museu. O banheiro (são dois e bastante decentes) ficam ao lado da escada. Do lado oposto a entrada do banheiro há um recorte na parede onde dá para ver um pouco da parede do prédio, toda de tijolos vermelhos.

As estreitas escadas da casa
Subindo as escadas você chega ao lugar onde os Romanov faziam suas refeições. Tudo está posto de uma maneira que parece que eles chegarão para comer daqui cinco minutos. A mesa é bem baixa e as pessoas sentavam-se quase no chão. Essa grande sala de jantar tem dois anexos pequenos. Não sei para que eles serviam, talvez eram a dispensa e a copa, algo assim, mas hoje são usadas para expor alguns utensílios da família, principalmente os que têm alguma relação com comida. Tudo bem interessante e escuro. Fotos nesse lugar são difíceis de tirar, por causa da luz e honestamente não me lembro se pode usar flash lá, mas acho que não. Logo ao lado da porta pela qual você entrou nesse cômodo há uma outra, por onde você deve entrar para continuar o passeio.

Escritório de trabalho de um Romanov
Essa porta é estreita, baixa e ela leva a uma escada ainda mais estreita e mais baixa e com degraus mais altos que o normal. Cuidado aqui porque se você escorregar e cair, não há nada que possa te ajudar a evitar uma queda feia. Se você é dos que tem o corpo mais avantajado, talvez tenha algum problema para ir ao andar de cima. Acredito que um lutador de sumô ou um jogador de basquete não poderia subir aquela escada. Passando essa fase, você chega a dois quartos. O primeiro deles é o que se poderia considerar uma sala de estar, com uma mesa, cadeiras e apetrechos para tomar um chá. Essa sala tem uma porta lateral que leva ao segundo quarto, que é menor e têm duas máquinas de tear rudimentares. Não sei quem as usava, talvez as mulheres da família, para fazer seus bordados e mostrá-los a czarina e que seriam usados no palácio imperial.

Para sair desses quartos, você precisa descer uma outra escada daquelas que você usou para chegar a esse andar. E ainda pior que ela faz uma curva. Não sei porque faziam escadas tão apertadas assim, talvez para economizar espaço na casa, não sei. O fato é que é difícil subi-las e descê-las. Essa escada leva a mais outros quartos, que eram usados como salas de estar, biblioteca, escritório e outros aposentos. Depois disso você volta ao primeiro lugar onde entrou para pegar seus pertences e ir embora.

É isso amigos. Visitei esse lugar já há quase seis meses, mas só agora consegui finalizar o post sobre ele. Ele é pequeno e a visita é rápida, mas seguramente vale a pena. Até a próxima!

3 comentários:

  1. Olá, meu irmão!

    Dizem por aí que as melhores descobertas são feitas por acaso... Vejo que este ditado é mesmo verdadeiro.
    Bom, apenas uma pergunta:
    Por que nobres escolheriam morar em casas com escadas e corredores exíguos se, no geral, os nobres geralmente gostavam dos espaços amplos e arejados?
    Abraço, companheiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kleber!

      Bom vê-lo de volta.
      Bom, sim, essa descoberta foi completamente ao acaso. Realmente surpreendente.
      Sobre a sua pergunta. Bom, eu não sei porque. Imaginoq ue era por conta de como a casa foi construída. Imagino que era uma casa menor no começo e depois foi sendo ampliada. Ao menos achoq ue é isso.
      Abraço para todos vocês!

      Excluir
    2. Olá, Kleber! Eu acho que espaços amplos na Rússia são mais típicos no periodo do império, quando começaram a construir palácios. Esse casarão é do século XVI quando ainda tinhamos tsares.

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.