domingo, 25 de dezembro de 2016

Como é a igreja ortodoxa russa?

A incrível catedral Uspensky em Ryazan (fonte)
Olá senhoras e senhores. Uma das marcas registradas da cultura russa é a sua religiosidade e apego à fé cristã. A vertente mais popular no país, no entanto, é outra. Vamos falar um pouco sobre a igreja ortodoxa russa.

Antes de tudo, quero deixar claro que não sigo nenhuma religião. Portanto, não há motivo para achar que favoreço uma em relação a outra. Falarei da igreja ortodoxa aqui porque, como já mencionei, a igreja ortodoxa está intrísecamente ligada à cultura do país. Mas é evidente que existem várias fés no país e todas elas estão abrigadas sob a lei constitucional de liberdade de culto. Um exemplo de que não existem apenas cristãos no país é que vem crescendo o número de muçulmanos, especialmente no sul da parte europeia. Mas aqui vou falar apenas da fé cristã.

Igreja da Ressurreição e seu campenário em Tomsk (fonte)
Um pouco (pouco?) de história: não se sabe a origem definida do povo que hoje conhecemos como russo. Apenas se sabe que à partir de 859 apareceram os primeiros registros sobre Novgorod, que significa "Nova Cidade", o que nos leva a pensar que já existiam outras cidades do povo eslavo. Nesse período, a religião em voga era a mitologia eslava. E esse nome não é por coincidência: basicamente, ela se parece com todas as mitologias que você conhece, como a grega, nórdica, indígena das Américas ou qualquer outra. A característica principal desse tipo de religião é o politeísmo (louva vários deuses), mas que tem um "deus maior", ou algo assim. Infelizmente, muito pouco da mitologia eslava chegou aos nossos dias. Há um museu da mitologia eslava em Tomsk que preciso visitar qualquer dia desses, além de escrever sobre isso. Em 957 a knyaguina (princesa) Olga converteu-se à fé cristã e como não conseguiu fazer o mesmo com seu filho Svyatoslav, pediu a seu neto, Vladimir I, converter todo o país à cristandade. A história foi seguindo seu curso até que em 1054 ocorreu o Grande Cisma. A igreja católica apostólica romana excomungou os líderes da igreja de Bizâncio (fonte do poder e honra da igreja à época) e os de Constantinopla fizeram o mesmo. Desde então os cristãos do oriente começaram a ser chamados de "ortodoxos", pois eles queriam manter algumas tradições antigas, ao passo que os romanos queriam introduzir alguns "avanços". Cada vertente cristã seguiu o seu caminho. Em 1966 as excomunhões foram retiradas e em 2016 o papa (líder católico romano) e o patriarca (líder ortodoxo russo) se encontraram e discutiram sobre os problemas dos cristãos no Oriente Médio e África. Quase mil anos depois, os dois líderes dialogaram.

Catedral da Assunção em Moscou (fonte)
Durante os anos, a igreja ortodoxa russa foi crescendo e se diferenciando um pouco da igreja bizantina. Em 1448, alegando diferenças dogmáticas, a igreja ortodoxa russa rompe com a igreja ortodoxa bizantina. Em 1589, a igreja bizantina deu reconhecimento de legitimidade à igreja ortodoxa russa. O Metropolita (equivalente a arcebispo na denominação católica) de Moscou é também o líder da Igreja Ortodoxa Russa. O atual patriarca se chama Kirill (Кирилл) e, antes de assumir o posto em 1 de fevereiro de 2009, era o metropolita de Smolensk, cidade perto da fronteira com a Bielorrússia. O estado teve vários episódios de envolvimento e interferência na igreja. criando cismas internos (como a questão dos velhos crentes). Pedro I, o Grande, fundador de São Petersburgo, aboliu o patriarcado (liderança da igreja, como o papado dos católicos romanos) e transformou a igreja ortodoxa russa num braço do estado. Isso durou até 1917, quando os socialistas tomaram o poder no país. Os socialistas removeram a igreja do estado e ela logo elegeu um novo patriarca, que ficou até 1925, quando o patriarcado foi extinto pelo governo de Stalin. Em 1943, Stalin restaurou o patriarcado, talvez para dar um alento ao povo durante a segunda guerra mundial. Durante os anos socialistas houve muitos problemas de perseguição. Muitas igrejas foram expropriadas e viraram de tudo, mas principalmente fábricas. As perseguições foram gradualmente ficando mais brandas até a queda da URSS, quando estado e igreja voltaram a se relacionar.

Apesar de mais de 70 anos de ateísmo semi-oficial, muita gente continuou seguindo os ritos cristãos., mesmo com a perseguição sofrida nesses tempos. Hoje em dia, muitos jovens estão se voltando para o lado da igreja ortodoxa, que segue forte por aqui. O governo, desde a queda do socialismo, tem uma relação boa e bem próxima com a igreja. Muitas vezes o presidente se encontra com o patriarca para algum evento. Muita gente não vê com bons olhos essa proximidade dizendo que o governo usa a religião para melhor manipular as pessoas e a religião usa o governo para se legitimar. Mas, ao menos oficialmente, de acordo com a constituição, o estado é laico e separado da igreja.

Ícone da Mãe de Deus de Kazan (fonte)
Em questão da "religião em si", como dogmas e coisas do gênero, de fato a igreja católica e a ortodoxa são muito parecidas. Ambas veneram santos, que são alguns dos intermediários entre os homens e os céus, junto com Jesus, que é o salvador, filho de Deus e enviado à Terra para redimir os pecados da humanidade. Em vez de estátuas, os santos,  são representados por ícones, que são retrados do santos, todos com um traço bastante peculiar e particular. Alguns ícones, segundo dizem, possuem mesmo partes dos santos, como pedaços de roupas, fios de cabelos e coisas assim. Em todas as igrejas há uma grande variedade de ícones de santos de todos os tamanhos e formatos e alguns deles se tornam lendários, como o Mãe de Deus de Kazan, que pode ser encontrado na Catedral de Kazan, na entrada da Praça Vermelha. Uma das diferenças das duas denominações (católica e ortodoxa) é a de que os padres ortodoxos podem (e acho que até devem) se casar. Pode parecer algo estranho para os católicos, mas os padres ortodoxos são sempre casados. Outra diferença é o modo de confecção do pão litúrgico entregue nas missas, que os ortodoxos não usam farinha de trigo, se não me equivoco, ao passo que se usa esse produto na igreja católica. Os czares, antigos governantes do país eram considerados como designados de Deus para comandar a Rússia e muitos deles viraram santos da igreja ortodoxa russa.

A enorme catedral do Cristo Redentor em Moscou (fonte)
Dentro das igrejas ortodoxas não há cadeiras e pouquíssimos bancos estão disponíveis. Ou seja, quando você vai assistir a uma missa, você passa o tempo inteiro de pé. É também uma tradição que os homens, ao entrarem na igreja, descubram a cabeça. No inverno, ao entrar em uma igreja, você deve retirar o seu chapéu ou touca. As mulheres, ao contrário, precisam cobrir os cabelos quando entram. Hoje, muitas igrejas disponibilizam tecidos apra as mulheres cobrirem os cabelos log no seu vestíbulo. Segundo a tradição, as mulheres também não podem usar calças nas igrejas, então, algumas igrejas também fornecem um tecido maior para as mulheres enrolarem na cintura para siumular uma saia. Mas cada igreja segue sua própria diretriz. Na grande igreja do Cristo Redentor, próxima ao  kremlin de Moscou (que também tem várias igrejas no seu interior), por exemplo, não é necessário para as mulheres cobrir nada (mas os homens devem descobrir a cabeça) e em outras, como um mosteiro dentro do kremlin de Kolomna, existem tecidos tanto para a cabeça como para a cintura.

Uma missa na igreja ortodoxa é mais ou menos assim (fonte)
Para finalizar, digo que, mesmo que você não seja dos mais religiosos, muitas vezes vale a pena entrar em alguma igreja e ver como são as coisas lá dentro. Em algumas cidades, alguma igreja é um dos maiores pontos de interesse a ser visitado por lá. Se você já entrou em uma igreja católica, vai se sentir um pouco familiarizado com a estrutura, mas existem diferenças. A igreja ortodoxa por exemplo, em seu altar, não tem um púlpito, onde fala o padre, mas tem uma espécie de grande mural dourado com algumas portas que são abertas em algum momento durante a eucaristia. Claro que esse mural é coberto com ícones. Quando não há celebrações, as portas se mantêm fechadas e não dá para saber exatamente o que há lá dentro (eu não me lembro de ter visto essas portas abertas em algum momento). E uma última coisa característica das igrejas ortodoxas é ter o pé-direito muito alto, de onde pende um enorme lustre de velas, criando um conjunto bastante bonito e impressionante.

Bom, acho que é isso. Se você é praticante de alguma fé e quiser deixar algum comentário, fique a vontade (claro, acredito que isso será feito com respito). Até a próxima!

4 comentários:

  1. Bom artigo, retrata bem as características da Igreja Ortodoxa Russa. Você sabe se outras denominações cristãs (Batistas, Metodistas, Presbiterianos etc.) também tem um grande número de seguidores ou representam uma minoria dentro do Cristianismo Russo? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      Eles são miniria aqui. Se não me equivoco tem até mais católicos (e eles também são em um número pequeno) que todos esses que você mencionou. Vem crescendo ultimamente o número de islâmicos na Rússia, especialmente no sul, na região da Chechênia e Daguestão.
      De nada.

      Excluir
  2. Olá, Luciano!

    Primeiramente, parabéns pelo blog recheado de informações e cultura sobre a Rússia. Estou em Vladvostok desde setembro/2016 fazendo uma preparatória para iniciar o curso de medicina agora em 2017, juntamente com um grupo de mais 7 estudantes. Estamos pensando em ir para Tomsk, já que vários professores disseram que a universidade e o curso de medicina são realmente muito bons. Por favor, você poderia nos ajudar, falando sobre o custo de vida, hospedagem para estudantes, clima e claro, algo mais para acrescentar sobre o curso ? Ficamos muito felizes em saber que tem um brasileiro por aí e Ficaremos imensamente agradecidos se puder nos auxiliar com estas informações.
    Aguardamos um possível retorno.

    Abç,
    Amanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda.

      Obrigado pelas palavras.
      Bom, aqui do lado direito tem uma seção chamada "Aqui no blog você encontra fatios sobre". Basta clicar na palavra "Tomsk" e vai abrir para você tudo o que escrevi sobre a cidade até agora. Acho que junto com Moscou, é o lugar sobre o qual eu mais escrevi, afinal, eu moro aqui.
      E só uma coisa: se você comentar de novo, procure o lugar certo para o seu comentário. Suas perguntas pouco têm a ver com essa postagem sobre a igreja.
      Espero que encontre as informações que precisa. Se necessitar de mais, é só perguntar.

      Abraços.

      Excluir

Antes de comentar, é preciso saber que existem algumas regras por aqui:
1 - os comentários sempre são moderados. Se escrever uma vez e parecer que deu erro, não deu não.
2 - se for perguntar algo, verifique se sua pergunta tem a ver com a postagem onde vai comentar. Se não tiver, o comentário será ignorado.
3 - se pensa em pedir alguma ajuda para imigrar para a Rússia (quase todos os dias recebo esse tipo de mensagem), nem perca seu tempo.
4 - seja educado. Afinal de contas, dizer "olá" e "obrigado" não custa nada.
5 - quer dar alguma sugestão para postagem? Inscreva-se no blog primeiro. Assim os dois se ajudam.

Se conseguir observar tudo isso acima (e não é difícil, convenhamos), seu comentário é muito bem-vindo.